sábado, 25 de março de 2017

“EM CAUSA A VERDADE DESPORTIVA”


O vice-presidente do Benfica Domingos Almeida Lima criticou hoje a “dualidade de critérios” na justiça desportiva, afirmando que a justiça é “célere e penalizadora para com o Benfica e lenta e complacente” com todos os outros.
“Emitimos um comunicado a chamar a atenção para que a justiça seja igual, mas só vemos uma justiça célere e penalizadora para com o Benfica. Com todos os outros. é lenta e complacente, numa espécie de apagão”, disse Domingos Almeida Lima, em Abrantes.
Perante cerca de 400 pessoas, na inauguração das novas instalações da Casa do Benfica de Abrantes, no distrito de Santarém, o dirigente referiu a “indignação” da instituição desportiva e pedido “respeito” pelo clube da Luz.
Domingos Almeida Lima disse que o Benfica já pediu reuniões aos presidentes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, e da Liga de clubes (LPFP), Pedro Proença, para expor as "fortes preocupações" do clube sobre a atual situação do futebol português, tendo feito notar que, se a justiça desportiva não for salvaguardada, o Benfica não deixará de "apelar à intervenção do Governo".
O vice-presidente dos ‘encarnados’, que assumiu o papel de Luís Filipe Vieira, que esteve presente, mas não falou, por estar castigado, realçou ainda que, "para os outros, a justiça é muito mais lenta", tendo referido que, esta semana, o Benfica assistiu a “vários episódios sobre os quais não é possível esconder a indignação".
O dirigente lembrou, também, que diversos casos ligados ao futebol “ainda não foram resolvidos pela justiça”, como "invasão de um centro de treinos dos árbitros, insultos, coação, ameaças", face aos quais, vincou, "nada acontece".
"É como que uma espécie de apagão em relação aos demais. Não se conhece uma única decisão, com exceção às que dizem respeito ao Benfica”, disse ainda Domingos Almeida Lima, criticando a diferente celeridade na resolução dos processos entre os três ‘grandes’, fazendo a alusão a processos movidos a gasóleo, para os seus rivais, e outros movidos a gasolina de última geração, para o Benfica.
"E ainda esta manhã lemos", acrescentou, citando um jornal desportivo, "que o processo que envolve o famoso incidente no túnel entre dois presidentes (do Sporting e do Arouca) não deve ser fechado ainda esta época”.
Perante os aplausos de centenas de benfiquistas presentes em Abrantes, o dirigente clamou “mas que vergonha é esta”, tendo observado que a situação vem "na continuidade de processos que envolvem o mesmo clube (referindo-se ao Sporting) e que permanecem sem decisão desde a época passada, perdidos nos confins da Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga (CII), com o risco de serem decididos nas férias".
Para o vice-presidente dos ‘encarnados', a situação "não é admissível", tendo afirmado que "torna-se insustentável disfarçar mais", tendo defendido que "Pedro Proença tem de assumir responsabilidades porque com estes alheamentos sucessivos se prova que os processos, dos rivais, quando chegam à CII, ficam congelados”.
“Se a justiça desportiva não for salvaguardada, o Benfica não deixará de apelar à intervenção do Governo”, insistiu Domingos Almeida Lima.
Num discurso muito incisivo, o dirigente criticou ainda a alegada escolha de Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, como chefe da claque de Portugal.

A EQUIPA DAS ESQUINAS


O grupo contará (hoje), no Estádio da Luz, com elementos de algumas das principais claques legalizadas, sendo lideradas por Fernando Madureira, dos Super Dragões. O apoio tem sido constante desde o Campeonato da Europa e foi formado por iniciativa do departamento de marketing da federação Portuguesa de Futebol ", in O Jogo", 24 março de 2017.
Por ocasião do Campeonato da Europa, o do Éder, e por via da leitura de umas quantas notícias nos jornais, instalou-se, no último verão, a suspeita  de que os serviços dos Super Dragões à causa patriótica incluíam o comércio de bilhetes para os jogos da Seleção, insinuação torpe nunca desmentida pelos serviços competentes da Federação Portuguesa de Futebol. Isto, sendo lamentável, não bastará para justificar, o silêncio do Conselho de Disciplina da FPF e a aparente inoperância do órgão disciplinador perante a suspeita de que os mesmos serviços da mesma claque incluíam no seu rol de atividades patrióticas a invasão, no último inverno, do centro de treinos dos árbitros, na Maia. Já vai para trés meses. Para a moral vigente, sem dúvida que tem mais valor ameaçar cidadãos nos seus locais de trabalho do que em esquinas econsas das nossas cidades e lugarejos.Por mania de embirrar, tudo leva a crer que terá sido esta, entre outras delongas do âmbito disciplinar, a razão pela qual o Benfica apesar de ter sido convidado, não se fez representar na gala das Quinas de Ouro, o que logo lhe valeu mais um processo, não por ter faltado mas pela justificação retórica com que explicou a sua ausência. Foi, na realidade, grande falta de respeito do Benfica pela macacal figura que voltará esta noite ao estádio da Luz na farpela de convidado de honra da FPF - contratado não será, certamente, pois não? - para demonstrar ao vasto público presente nas bancadas como se puxa pela Seleção, essa arte dificílima de levar a cabo já aquele futebolzinho de Cristiano Ronaldo & companhia, na realidade, não entusiasma ninguém.
Está de parabéns portanto, o departamento de marketing da Federação Portuguesa de Futebol que, depois de leitura atenta da autobiografia do líder dos Super Dragões, entendeu ser ele a figura recomendável para consubstanciar os valores da Pátria no apoio à Seleção. Viva, portanto, a equipa das esquinas mais o departamento de marketing! Longa vida, também, ao Conselho de Disciplina! E, já agora, ainda haverá bilhetes?

Leonor Pinhão, in record

CLÁSSICO É (QUASE) DECISIVO


"No último sábado foi incontida a alegria azul e branca com o empate do Benfica em Paços de Ferreira. O raciocínio era simples: 0-0 em Paços é um resultado de equipas que jogam muito pouco, e eles lembram-se. Domingo o FC Porto assumiria a liderança da Liga após 444 dias sem o conseguir. Até o número cabalístico do jejum, fazia, em época de quaresma, antever desfecho bíblico.
As capas dos jornais de domingo não deixavam margem para dúvidas e o Dragão encheu de público para assistir ao feito e ver renascer a fénix. Os adeptos foram premiados com os 90 minutos mais longos e demorados da história do mítico campo azul e branco. Mais de 102 minutos é um bónus de 13% para quem comprou o ingresso. O FC Porto não lidera o campeonato mas lidera o tamanho dos seus jogos, também é um feito que merece destaque.
Voltando à realidade futebolística, uns e outros jogam abaixo do desejo dos seus adeptos. Quer os 94 minutos de Paços de Ferreira, quer os 102 do Dragão ficam aquém das expectativas de ambas as massas adeptas.
A nós benfiquistas, fica a não demonstrada quimera que com 102 minutos conseguiríamos vencer o Paços de Ferreira. Fica também a certeza de que João Carvalho foi o benfiquista mais decisivo desta semana, e seguramente o empréstimo desportivamente mais rentável do futebol encarnado. Esperamos todos fazer melhor no que falta da época, rumo ao proclamado objectivo de vencer o campeonato e a Taça de Portugal. Assim fica mesmo muito decisivo o jogo de dia 1: quem vencer o clássico fica quase campeão.
No fundo termina numa semana de várias galas e com alguns galos, veremos quem canta no fim. Numa semana onde o despedimento de treinadores continua e muitos adeptos perguntam quando começa o despedimento de alguns dirigentes."

Sílvio Cervan, in a bola

PRIMEIRAS PÁGINAS


OS INOCENTES, OS OUTROS E O SILÊNCIO


"Estamos a uma semana e um dia do jogo que pode vir a revelar-se decisivo para a atribuição do título nacional de futebol, num contexto de emoções e declarações muitas vezes para lá do aceitável.
Reconhecida a importância dos 90 minutos que se disputarão na Luz no dia das mentiras, urge fazer, desde já, um alerta: é imperioso que quem de direito não se furte às responsabilidades, criando totais condições de segurança no anfiteatro benfiquista, de forma a que 65 mil adeptos possam conviver, em liberdade, com as emoções próprias do beautiful game.
São por isso totalmente inaceitáveis - e a carecer de resposta à altura por parte de quem tem por mister garantir a legalidade - as declarações do líder da claque do FC Porto, que incentivou comportamentos potencialmente explosivos. «Devido à grande procura para o jogo do próximo dia 1, SLB/Porto (10000) e o nosso clube só ter direito a 3250 bilhetes, peço a todos os portistas que arranjem vias alternativas (casas SLB, red pass, convites) para levarmos a cabo esta invasão!!!»
Sabe-se hoje que não será fácil levar por diante tal plano, em função dos vários filtros que visam garantir a integridade dos ingressos. Mesmo assim, é altamente preocupante que tenha sido lançado um apelo à subversão, susceptível de funcionar como rastilho em barril de pólvora.
Até hoje, o silêncio, quanto a esta matéria, das entidades que devem zelar pelo futebol português, tem sido ensurdecedor. Nem uma palavra de censura, nem uma apelo ao civismo, nem um gesto de revolta. Será assim tão difícil dar um passo em frente?"

José Manuel Delgado, in a bola

O ACÓRDÃO DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO


"Quem tiver memória deverá certamente recordar-se de um grande espalhafato, feito em torno de um kit, que ainda por cima de denominava Eusébio, o qual desde aí tem gerido a mente de quem se impressiona e vive numa lógica de que tudo o que se insinua é verdade!
Vejamos. Não há muito tempo, mas certamente há alguns anos, quando se imputava uma acção qualquer a alguém, todos diziam que era mentira. Hoje, caímos exactamente no contrário. Presumem-se todos culpados, bastando alguém insinuar alguma coisa.
O processo é o 12/2016. Correi no Tribunal Arbitral do Desporto.
'O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) é a instância competente para dirimir o litígio objecto do processo em referência, nos termos do preceituado no artigo 4.º, n.ºs 1 e 3, alínea a), da Lei do TAD (aprovada pela Lei n.º 74/2013, de 6 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 33/2014, de 16 de Junho).
O Tribunal Arbitral constituído para dirimir o litígio objecto do processo em referência é composto pelo Sr. Dr. José Mário Ferreira de Almeida, árbitro designado pela Recorrente, pelo Sr. Dr. Nuno Albuquerque, árbitro designado pelo Recorrido, pelo Sr. Dr. Luís Miguel Simões Lucas Pires, árbitro designado pela Contra-interessada, e pelo Sr. Dr. Miguel Navarro de Castro, árbitro escolhido pelos árbitros designados pelas partes para presidir aos trabalhos deste Colégio Arbitral'.
A afinal o processo trata de quê?
'A Sporting Clube de Portugal - Futebol SAD (Recorrente) impugna, por via de recurso, o Acórdão do Pleno da Secção Profissional do Conselho de Discplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), proferido em 01.06.2016 no âmbito do Recurso Hierárquico Impróprio n.º 14-15/16, que negou provimento a anterior recurso apresentado pela aqui recorrente, confirmando o despacho decisório recorrido e que, em consequência, manteve a deliberação de arquivamento proferida pela Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) no Processo de Inquérito n.º 0-15/16'.
Portanto, em bom rigor, temos:
- Os inquiridores do processo;
- A Comissão de Instrução e Inquéritos das Competições Profissionais de Futebol.;
- O Pleno do Conselho de Disciplina, ou seja, todos os membros do Conselho de Disciplina;
- E agora  Tribunal Arbitral do Desporto.
Esta decisão do TAD tem um voto de vencido, do árbitro indicado pelo Sporting!
Por isso é que defendo a nomeação de árbitros pelo próprio Tribunal Arbitral, ou então de comum acordo entre as partes. Não se conseguirem desligar de quem os indica é efectivamente complicado.
O Conselho de Disciplina da FPF é constituído por treze (13) elementos.
Assim, a decisão de arquivamento do celebérrimo caso dos vouchers tem os seguintes decisores.
Inquiridores, pelo menos 2, Pleno, ou seja, todos do Conselho de Disciplina, 13 elementos, Tribunal Arbitral do Desporto, mais 3 árbitros, sendo que existe apenas uma pessoa contra, que é - nada mais, nada menos, conforme escrevi - o árbitro indicado pelo Sporting.
Era realmente bom este resultado no campo: 18-1!
Permitam-me transcrever aqui um pedido de produção de prova deduzido pela Sporting SAD, que considero hilariante - 'Oficiar o restaurante Museu da Cerveja para vir juntar aos autos cópia da sua ementa em vigor desde Julho de 2013'.
Sem comentários!
É o que costumamos designar por tiro no pé!
'Aliás não deixa de ser curioso que isso mesmo parece resultar evidente para o Presidente do Conselho de Administração de Demandante e, portanto, seu primeiro legal representante, Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho, pois este agente desportivo, em entrevista ao jornal Expresso, edição de 10/10/2015, afirmou: 'A minha preocupação não é a arbitragem, mas, sim, o comportamento. Uma pequena cortesia? Não tenho problema nenhum. Acho que é corrupção? Também não'. Na questão que se seguiu a estas afirmações, o jornalista perguntou-lhe 'Chega para condicionar os árbitros?', tendo o dirigente respondido: 'Não acho que condicione' (cf. fls. 266 do processo de inquérito).
Sem comentários!
E talvez por isto tudo e mais umas quantas coisas que me dispenso aqui de elencar foi considerado como não provado, em todas as instâncias:
'Não resultou igualmente provado que o SLB tenha, por qualquer meio e forma, directa e/ou indirectamente, expressa e/ou tacitamente, solicitado e/ou sugerido a qualquer arbitro principal, árbitro assistente, observador e delegado da LPFP uma actuação parcial e atentatória do regular decurso dos jogos integrados nas competições desportivas, de forma e beneficiar as suas equipas principal e B e/ou prejudicar as equipas adversárias em algum(ns) jogo(s) concreto(s) por aquelas disputado(s) nas competições nacionais em que participam'.
Por isso é que interessa saber o que foi considerado, evidentemente, como provado:
'c) Aquela oferta é sempre feita ao árbitro principal, árbitros assistentes, 4.ºs árbitros, observadores e delegados da LPFP, no final de todos os mencionados jogos, independentemente das circunstâncias em que os mesmos decorreram, do seu resultado final e do juízo valorativo que os responsáveis do SLB possam fazer da actuação, em especial, das equipas de arbitragem e dos delegados da LPFP;'
'd) No respeitante às equipas de arbitragem a referida oferta é sempre feita na presença dos delegados da LPFP e depois de estes ou de um dos elementos das forças policiais questionarem os árbitros sobre se os elementos do SLB podem aceder ao balneário para a concretizarem;'
't) É prática generalizada dos clubes participantes nas competições nacionais de futebol, no final dos jogos que disputam na condição de visitados, oferecerem lembranças alusivas ao próprio clube e/ou à respectiva região às equipas de arbitragem neles intervenientes'.
O artigo correspondeste do Regulamento Disciplinar diz:
'Com a epígrafe 'Corrupção da equipa de arbitragem', dispõe o artigo 62.º:
'1. O clube que através da oferta de presentes, empréstimos, promessas de recompensa, ou de qualquer outra vantagem patrimonial para qualquer elemento da equipa de arbitragem ou terceiros, directa ou indirectamente, solicitar a esses agentes, expressa ou tacitamente, uma actuação parcial e atentatória do desenvolvimento regular de jogos integrados nas competições desportivas, em especial com o fim de os jogos decorrerem em condições anormais, alterar ou falsear o resultado de jogos ou ser falseado o boletim de jogos, será punido com a sanção de descida de divisão e, acessoriamente, com a sanção de multa de montante a fixar entre o mínimo de 500 UC e o máximo de 2000 UC'. (...)
5. Não cabem nas previsões dos números anteriores as simples ofertas de objectos meramente simbólicos'.
Agora colem os factos que foram dados como provados e os não provados e vejam se o artigo está totalmente preenchido, acrescentando-lhe a intenção de!
Obviamente que não!"

Pragal Colaço, in O Benfica

JOGO LIMPO BENFICA TV HD :: 24 MAR 2017

                                           

sexta-feira, 24 de março de 2017

BARBA & CABELO


O ATLETA


NÃO ASSOBIEM PARA O LADO


"Bem sei que ainda falta uma semana (e mais uns dias) para o Benfica - FC Porto. Mas - nem podia ser de outra forma, tratando-se de encontro decisivo para o título- há muito que o clássico já mexe, em especial nesse universo recente (maravilhoso e perigoso ao mesmo tempo) que são as redes sociais. Desta vez o motivo de discussão entre adeptos de águias e dragões são os bilhetes. Dizem os do FC Porto - de forma mais concreta dizem os elementos da claque Super Dragões, o que torna a situação ainda mais preocupante - já terem em sua posse uns milhares de ingressos comprados a benfiquistas, o que lhes permitirá entrar no Estádio da Luz, está-se a ver que para o meio dos adeptos encarnados, com os riscos que isso representa. Respondeu de pronto o Benfica, garantindo que haverá controlo rigoroso nas entradas: não bastará apresentar bilhete, é preciso validá-lo com o cartão de sócio e, nalguns casos, até com Cartão de Cidadão. O que mostra estar o clube da Luz (e bem) a levar muito a sério a situação.
É o mesmo que se espera das forças que tratarão da segurança nesse dia 1 de Abril. Talvez seja preciso pensar que os planos habituais podem, desta vez, não ser suficientes para garantir que tudo decorra sem problemas. Porque se há mesmo elementos da claque do FC Porto que tenham bilhetes destinados a lugares de benfiquistas, significa que para entrar se misturarão na multidão. E mesmo que não tenham acesso ao interior, é muito possível que a confusão se instale no exterior. E, já se sabe, mais vale prevenir do que remediar. Porque se um Benfica - FC Porto é sempre de risco elevado, este, pelas circunstâncias que o rodeiam - é triste dizer isto, mas é ao ponto a que chegou o futebol português - e pelo que significa para os dois clubes, devia merecer catalogação de risco máximo. Atenção redobrada, portanto."

Ricardo Quaresma, in a bola

AQUECIMENTO BENFICA TV HD :: 23 MAR 2017

                                        

PRIMEIRAS PÁGINAS


quinta-feira, 23 de março de 2017

RUI ARRASA AS VIRGENS OFENDIDAS


Benfica:"Olho por olho, dente por dente"...Finalmente!!!
O Benfica fartou-se do sistema! Um sistema que, em lume brando, se andava a preparar para nos tramar e que não vai desistir.
Só espero que não seja tarde
1 O Benfica, na passada segunda-feira, fartou-se do sistema! Um sistema que - em lume brando - se andava a preparar para... nos tramar e, não vai desistir facilmente desse objetivo.
Ainda assim, mais de dois meses depois de termos empatado com o Boavista e mais de mês e meio depois de termos perdido com o Vitória de Setúbal, com arbitragens que nos prejudicaram tremendamente, e após muitas (muitas, mesmo) jornadas a permanecer impávidos a tantos benefícios dos nossos rivais. 60 dias (ou 45) depois de alguns ameaços (tipo intervenções em inaugurações com meias palavras que não chegavam), o Benfica falou - alto e bom som - contra tanto escândalo no futebol português. Finalmente!
Como eu, desde sempre, vinha defendendo, porque os outros só percebem essa linguagem. Até lá, esperando por uma reação nossa o mais tardia possível (na ânsia, até, de chegarem à Luz a poderem gerir o resultado) iam tratando da vida deles, com nítido prejuízo da nossa. Equilibrando, como antes nos tempos do Apito Dourado (e como lhes dói cada referência a isto), a favor deles, o que - no campo - estava muito desequílibrado, a nosso favor. Inclinando o campo para poderem ganhar à maneira deles (como, agora, os amigos deles cá de baixo gostam de cantar, antes dos jogos... embora, à maneira deles, a de sempre, seja mais... depois dos jogos, ou seja, nos resultados).
Por mim, só espero que não seja tarde! Porque, contra toda esta vergonha... olho por olho, dente por dente!!! Começaram a perder os outros, como perderam as teses que sempre aconselham à conciliação. Porque, mesmo entre nós, temos alguns que, sendo de outros mundos (e andando noutros mundos), não falam porque não sabem e não gostam de ouvir porque temem as reações.
Esses perderam!
Mas ganhou o Benfica e cresceu o respeito ao Presidente, entre aqueles para quem as vitórias do Benfica são uma parte muito importante da sua vida e entre... os que - em conjunto - só nos querem derrotar.
"Não é bom para o futebol em Portugal"
2 Mas - dirão alguns - essa reação não mereceu algumas críticas? Claro que sim! Sabem de quem? Dos que são dos outros e dos que, parecendo independentes, estão sempre contra nós! Com o argumento de que não é bom para o futebol em Portugal. Pois não! Bom, bom... bom, mesmo, é verem o Benfica a ser roubado e deixarem andar... para termos um campeonato equílibrado.
Então, agora, é que se lembram que parece que o menos importante é o jogo?
Mas não o era antes, quando o Benfica era atacado, desrespeitado, vilipendiado, roubado?
Então o que mudou? O que mudou foi o Benfica ter chamado - como sempre defendi - as coisas pelos nomes!!! Pois, agora, lá vêm as virgens ofendidas, defensoras eternas da verdade desportiva (quando o Benfica vai à frente...) clamar pelo futuro do futebol...
Então, quando eram outros os benefíciados, não estava em causa a verdade desportiva? Estar, estava, mas o que eles estavam, mesmo, era muito mal habituados! E podíamos continuar assim? Poder, podíamos, mas não era a mesma coisa! E nós só queremos o Benfica campeão!
Penalties? Antijogo? Não!!! Apenas falta de classe
3 O Benfica - todos por aqueles lados o davam como certo - perdera o campeonato em Paços de Ferreira. Porque a vitória, no domingo, estava garantida, apenas faltando saber a expressão da mesma. Pois, da montanha de Contumil saiu um... empatezinho... com todas essas desculpas que serviram para disfarçar as frustações. Eles não podiam deixar de ganhar! Eles tinham de ganhar!
Para depois, tentarem impedir a aplicação das regras do fair play financeiro. Porque esse será - em julho - o principal problema de quem inventa armadilhas para depois cair em ratoeiras...
Vão por mim, que é isso que está em jogo, para quem terá que obrigatoriamente, de fazer, pelo menos, 150 milhões de vendas no fim da época!
Antijogo: a vergonha, a verdade e a subserviência
4 Durante anos e semanas a fio - aqui em A BOla e na SIC - fui alertando para a vergonha do antijogo. Mas ninguém queria saber disso... porque era só contra nós. De cada vez que o Benfica não estava a ganhar... o antijogo fazia parte do jogo! Foi pública, até, a polémica entre mim e o guarda-redes do Sporting...de Braga... que, no jogo da Luz, se magoava a cada defesa até ter sofrido o primeiro golo. Golo decisivo... para a vitória do Benfica e para a saúde desse (grande, diga-se, já agora) guarda-redes, como cada 1.º golo nosso faz bem a todas as mazelas de cada um dos que jogam contra o Benfica. Desafio-os a verem qualquer jogo até o Benfica estar a ganhar e depois...
Perceberão estar perante dois jogos diferentes...
Nesses mesmos jogos, lá vinham os habituais 3 ou 4 minutos de tempo adicional. Pois, agora - admitamos que com o mesmo antijogo - o tempo adicional foi de 12 minutos...
Então o que mudou? O queixinhas! E os lambe - botas do costume (para além dos orgãos oficiosos desses clubes) lá vieram escandalizar-se perante o antijogo...
Pois é... ou como julgo ter ouvido que José Couceiro disse ao Presidente dos outros, no túnel, ao intervalo, «foi assim que empatei na Luz e não me consta que tivesse ficado incomodado com isso».
Mas ficou!!! Tanto como as donzelas do costume, que agora se insurgem por se terem perdido 14 minutos e se terem dados 12. Mas quando se perderam os mesmos 14 e só foram dados 3... ninguém falou. Sabem porquê? Porque era o Benfica!!!
E contra o Benfica - julgam eles - vale tudo! Mas não vamos deixar!
Até porque - daqueles lados - só nos vêem como inimigos. E não perceber isso é fazer o jogo deles.
Infelizmente!!!
E do Canelas, alguma novidade?
5 Já agora, se souberem o que fez a disciplina desportiva no caso do Canelas, avisem-me! Pode parecer irrelevante, mas não é! Não é, não!
Ou acharão tudo normal, desde que venha daqueles lados? Se calhar, com medo que se repita na Associação e na Federação «a invasão do Centro de Treinos do Polo Profissional dos Árbitros na cidade da Maia por parte de elementos afetos à claque do»... Canelas.
Que como se sabe... não tem nada a ver com... «elementos afetos à claque do FCP»!

Rui Gomes da Silva, in a bola

ANDA POR AÍ UM VENTO ESTRANHO


"Estranho paradoxo, este, o de termos caminhado para um nível de excelência no que à organização de eventos desportivos diz respeito (desde o Euro-2004, uma prova notável e que ainda hoje serve de referência), de termos a selecção campeã da Europa e simultaneamente sermos os líderes dos despedimentos de treinadores do seu principal campeonato. De dia somos dinamarqueses, à noite brasileiros.
Mas é justamente do Brasil (o país onde um técnico pode assinar à hora do almoço e ser despedido ao jantar se não disser boa tarde ao filho presidente), que está em marcha uma lei que pretende regular e proteger a figura do treinador de futebol, até aqui desprovido de muitos direitos. Pretende-se, com a Lei Caio Júnior (uma das vítimas da tragédia da Chapecoense) que estes homens possam, pelo menos, aguentar-se seis meses no cargo. Dar um pouco mais de humanidade a esta actividade.
Em Portugal não há um problema de direitos, mas parece haver quem não veja direita na hora de escolher o homem que vai orientar um grupo de 25 a 30 homens. A dança que tem marcado o dia a dia dos clubes de futebol da I Liga, com entradas e saídas, é coisa que parecia ter caído em desuso (o Nacional era um bom exemplo, com a aposta contínua em Manuel Machado) e confesso que não consigo encontrar um motivo para tantas mexidas. Porque não há nem mais nem menos dinheiro do que há um par de anos (diria que até está a pingar mais qualquer coisa) e as estruturas são as mesmas. Acredito que seja apenas um estranho vento que anda por aí. Porque nem todos podem ter o felling do presidente do Hoffenheim, quando decidiu apostar em Julian Nagelsmann, um jovem desconhecido de 28 anos e, hoje, com 29, ser considerado o treinador do ano na Alemanha."

Fernando Urbano, in a bola

CARTOONS


O INOVADOR


BARBA & CABELO


OS PRESIDENTES E OS SEUS CHICOTES


"Vinte e seis jornadas do principal campeonato do futebol português (faltam ainda oito) e já vamos em dezassete mudanças de treinador. Duas por razões especiais, provocadas por transferências pela simples lei da oferta e da procura, e quinze por verdadeira crença de nada menos de doze(!) presidentes na chamada chicotada psicológica.
Claro que todas as épocas existem razões especiais que justificam a mudança, mas um triste recorde de troca massificada de treinadores durante uma época só pode ter uma justificação global: a preocupante impreparação, para não dizermos incompetência, de muitos desses presidentes, com reflexos graves na gestão financeira dos magros recursos dos seus clubes.
Há, para cúmulo, quatro situações extremas de clubes que já vão no seu terceiro treinador da época. É um bem para a melhoria dos níveis de emprego da população portuguesa, mas é um certificado de desqualificação que aqueles que tomam tais decisões passam e assinam sobre si próprios.
É natural que haja situações de puro engano, de erros não forçados, como se diz no ténis, mas com números com esta amplitude é inevitável pensar-se que o presidencialismo do futebol português carece, em parte significativa, de gente com outro sentido de responsabilidade, outro nível de conhecimento e, sobretudo, outra capacidade de gestão.
Definitivamente: a escolha de um treinador para uma equipa de futebol tem de ser um acto de grande critério, porque se trata de uma escolha de um quadro decisivo no funcionamento do grupo. Não pode continuar a ser um acto irreflectido, nem de mero instinto."

Vítor Serpa, in a bola

LUÍS MIGUEL FERNANDES


Por razões bem diferentes, José Sócrates e Luís Miguel Afonso Fernandes foram os portugueses mais badalados na semana passada, E se aqui não virá a propósito falar do primeiro, teço algumas considerações sobre o segundo. O Luís Miguel joga à bola. É um magnífico profissional. Competente, sabedor, inteligente. Não o conheço pessoalmente, mas, como bragantino, deve ser um bom rapaz, correto e respeitador dos colegas e adversários.
O Luís Miguel é o Pizzi do Benfica. Creio que assim é conhecido por causa de um argentino-espanhol, que jogou no Barcelona,: Juan Antonio Pizzi, também conhecido por Lagarto. Esta alcunha sugeria-me derivar para as queixinhas dos queixosos, mas era dar importância ao vácuo. Prefiro antes escrever sobre as pressõezinhas sobre o árbitro em Paços de Ferreira para que mostrasse o 5.º cartão amarelo ao Pizzi, mal ele entrasse em campo. Não há dúvidas que, ao menos, se tem inovado bastante na forma de exercer pressão antes dos jogos. Neste caso, houve vídeos com fartura, houve contabilidade com duas casas para impressionar os pacóvios (até disseram que Pizzi deveria ter já apanhado cartão amarelo em 12 jogos, depois do último atribuído no Dragão, assim batendo todos os recordes!), houve até um jornalista que, num dos canais ora concentrados no quase-futebol totalitário, garantiu que o árbitro era portista e, por isso, Pizzi difícilmente escaparia ao 5.º cartão.
Vitória e Pizzi não cederam ao pânico da coação maliciosa. É certo que o Benfica não venceu, mas apreciei esta atitude, nesta reles atmosfera do nosso futebol, em que quase todos são especialistas em chico-espertices.

Bagão Félix, in a bola

PRIMEIRAS PÁGINAS


ISTO TRESANDA A PODRE


BENFICA EXIGE RESPEITO

Face à permanente e reiterada inexistência de tomadas de posição por parte dos responsáveis da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e perante o grave clima de coação, intimidação e declarações públicas ofensivas quase diárias a que se tem assistido no futebol português;
Face a uma inequívoca dualidade de critérios da justiça desportiva, até hoje não contestada, em que só os processos que envolveram o Sport Lisboa e Benfica (Luis Flipe Vieira, Rui Costa e Rui Vitória) conheceram uma decisão célere e penalizadora, em contraponto com uma total ausência de decisões sobre outros processos, alguns bem mais antigos, que envolvem outras instituições e agentes desportivos por factos de reconhecida enorme gravidade:
Entende o Sport Lisboa e Benfica que não tem sido devidamente respeitado e não é aceitável a continuação deste clima de impunidade que resulta da ineficácia das principais instituições que gerem o futebol Português.
Nesse sentido, o Sport Lisboa e Benfica considera que estando ultrapassados todos os limites de tempo razoáveis para se aguardar por decisões (quaisquer que elas sejam) e não existindo qualquer explicação, chegou o momento de publicamente demonstrar e expressar a sua indignação, justificando por esse motivo a ausência de representantes institucionais do clube no evento hoje realizado.
O Benfica não aceita este estado de total anarquia, de vale tudo em que se está a transformar o futebol português, tornando-se exigível que a lei seja cumprida de forma transparente e que exista uma JUSTIÇA IGUAL PARA TODOS.
Existem factos que resultam de ameaças, insinuações e insultos públicos que só foram objecto de abertura de processos após as competentes participações disciplinares efetuadas pelo Sport Lisboa e Benfica.
São factos comprovados, muito preocupantes, que fazem lembrar um regresso a um passado de triste memória e como tal o silêncio não é mais aceitável, tornando exigível que a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga Portuguesa de Futebol Profissional assumam de uma forma clara e transparente as suas obrigações.
O Benfica continuará o seu projeto de engrandecimento do futebol português e exige respeito em nome de uma indústria que requer profissionalismo, rigor e exigência de todos.
É o futuro, a transparência e a sã convivência do Futebol Português que está em causa.   
Chegou o momento de respostas claras e não de um silêncio comprometido e escondido.
Direção de Comunicação SLB
Comparar isto a isto!


É dar pérolas aos porcos.
Onde estão os processos disciplinares? Esta gente foi enxovalhada, foi acusada de incompetente e cobarde e ficaram calados como ratos, logo, deram razão a quem os insultou.
Há um ditado que diz, existem pessoas que nascem sorrindo, vivem fingindo e morrem mentindo.
Este edifício federativo tresanda a podre, é um lamaçal onde se sentam ratos de esgoto que estão ali com um único fim, prejudicar o Benfica. Gente pequenina com fatos de seda, mas a roupa não consegue esconder a podridão que grassa por baixo.
Só de pensar que estes sujeitinhos perversos vão sentar as sua peidas nauseabundas nas cadeiras do nosso estádio dá vómitos....
E anda o Benfica a manter esta gentalha. 

“UM IMENSO BENFICA”


O Campo Pequeno, em Lisboa, recebeu, na noite desta quarta-feira, a Cerimónia de Entrega dos Galardões Cosme Damião, evento que encerrou as festividades alusivas ao 113.º aniversário do Sport Lisboa e Benfica.
O presidente Luís Filipe Vieira falou aos presentes enaltecendo a reunião de um Benfica “pujante, ambicioso, vibrante e em festa” num só lugar.
Para o líder das águias esteve no Campo Pequeno “o Benfica no seu melhor!”
Sem nunca esquecer a história, o Benfica é hoje um Clube no presente virado para o futuro e para as conquistas vindouras. “Um Benfica que se orgulha do seu passado. Concentrado em conquistar novos títulos no presente mas com os olhos postos no futuro”, referiu.
Na Cerimónia de Entrega dos Galardões aos que se destacaram ao longo do ano não foi esquecido o fundador que dá nome ao prémio. “Este aniversário ficará para sempre na nossa memória como o momento em que, por vontade expressa do povo de Lisboa, foi inaugurado um monumento em homenagem ao nosso fundador Cosme Damião”, recordou, acrescentando: “Cosme Damião é símbolo e exemplo de dedicação, determinação e humildade, valores que desde o primeiro momento estiveram na fundação e afirmação do nosso Clube.”
Para Luís Filipe Vieira “são 113 anos de trabalho para consolidar o Benfica como a maior referência do desporto português e uma marca global”. Essa história de conquistas tornou-o Glorioso e um embaixador de Portugal além-fronteiras. “A par dos portugueses espalhados no Mundo, o Benfica foi e é embaixador de Portugal”, reconheceu.
                     
E alguns dos nomes que foram fundamentais para engrandecer a Instituição não foram esquecidos: “O Benfica de Cosme Damião, Coluna, Águas, Eusébio, Mário Wilson e de tantas glórias do passado e do presente, está no ADN de milhões de portugueses e de cada vez mais estrangeiros.”
Futuro risonho e sustentado
Luís Filipe Vieira aproveitou a cerimónia para revelar alguns dos projetos do Clube para os próximos anos. “Tempo de aniversário é sempre um bom momento para falar do futuro”, começou por dizer, adiantando de seguida que uma das metas passa por “diminuir o passivo e a dívida do Benfica”.
Ao nível das infra estruturas, o presidente Benfiquista destacou “o alargamento, crescimento e apetrechamento do nosso famoso Caixa Futebol Campus”, a criação do “novo Centro de Treinos de Alto Rendimento para as modalidades e também para o futebol”, e a construção da “nova Casa do Jogador ou Benfica Saúde” e do “novo Hotel temático do Benfica no Jardim do Regedor”.
As Casas do Benfica continuarão a ser uma aposta enquanto braço-armado do Clube. “Modernização, ligação e uniformização de imagem das Casas do Benfica, que temos espalhadas por todo o País e pelo Mundo, possibilitando também que passem a estar ligadas em rede ao coração do Clube”, apontou.
Nas áreas da comunicação e do marketing realce para o “lançamento muito em breve no novo site - a nova plataforma digital do Benfica - que será um instrumento fundamental de aproximação aos milhões de Sócios, adeptos e simpatizantes espalhados pelo Mundo” e para o arranque da “Rádio Benfica que, com a Benfica TV, prova que mais uma vez estamos à frente na criação de novos projetos”.
Fulcral será, ainda, a “internacionalização da marca Benfica como estamos a fazer na China, Estados Unidos, Índia e que se alargará a todo o restante mercado asiático e africano”.
Luís Filipe Vieira aproveitou, igualmente, para agradecer à Família Benfiquista presente no Campo Pequeno elevando a importância do Galardão. “Aos nomeados, o agradecimento pelo vosso contributo para a história do Benfica”, reconheceu, completando imediatamente: “Os Galardões Cosme Damião são um reconhecimento e uma inspiração para que continuemos a trabalhar, a ganhar e a conquistar títulos.”
O presidente terminou a sua intervenção com uma forte frase: “O passado, o presente e o futuro do forte, aguerrido e imenso Sport Lisboa e Benfica.”

quarta-feira, 22 de março de 2017

LANÇAS APONTADAS BENFICA TV :: 22 MAR 2017. BEM APONTADAS E AFIADAS

                                           

105 x 68 BENFICA TV :: 21 MAR 2017

                                          

PRIMEIRAS PÁGINAS


A ISTO SE CHAMA UMA FILHA DA PUTICE


A Federação Portuguesa de Futebol instaurou um processo disciplinar ao Benfica na sequência do comunicado emitido pelos ´encarnados` na segunda-feira onde ´atacavam a FPF e a Liga, pedindo justiça igual para todos.
A decisão foi comunicada esta terça-feira, pelo Conselho de Disciplina da FPF. O órgão disciplinar diz, em comunicado que foi "instaurado processo disciplinar, por deliberação da Secção, de 21 de março de 2017, a sociedade desportiva por comunicado publicado na sua página da internet. O processo foi enviado, hoje [terça-feira], à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mantendo-se em segredo até à acusação".


Desta vez nem foi preciso uma denúncia do Sporting para que a FPF reagisse ao duro ´ataque` do Benfica de segunda-feira, contra a "inequívoca dualidade de critérios de justiça desportiva".

No comunicado, o Benfica exigia justiça igual para todos no futebol português, considerando que existe uma permanente e reiterada inexistência de tomadas de posição por parte da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).



OBS: Se havia alguma coisa que pudesse unir ainda mais a nação benfiquista ela aí está, mesmo sendo estes senhores da justiça desportiva uns reles competentes na arte dos dois pesos duas medidas, vamos ficar-lhes gratos por nos conseguirem unir ainda mais. Nenhuma surpresa nesta decisão, uma cambada de reles seres rastejantes que com esta decisão não mais fizeram do que se considerarem a eles mesmo uns completos avençados ao serviço de outras causas. Esta gente só tem um nome, dejetos humanos, ratos de esgoto...
Que esperar de uma Federação comandada por um homem que pagava o serviço de prosritutas  aos árbitros num certo clube? Puta que vos pariu cambada de  asquerosos.
Não queremos estes estercos sentados no camarote do nosso estádio, nem de cócoras.

terça-feira, 21 de março de 2017

VOLTAMOS AO VALIA TUDO?


Diretor geral da SAD do FC Porto terá mesmo insultado o árbitro no final da partida.
O jogo entre FC Porto e V. Setúbal promoveu muitos momentos de tensão. O alegado antijogo praticado pela formação sadina deixou Pinto da Costa e Luis Gonçalves insatisfeitos, tendo ambos descido ao túnel de acesso aos balneários durante o intervalo da partida.
A informação é divulgada pelo jornal Record, que adianta ainda que o diretor geral da SAD azul e branca, Luís Gonçalves, terá mesmo insultado Manuel Mota no final do encontro, alegando grandes penalidades que ficaram por assinalar.

A mesma publicação garante ainda que o ambiente vivido no final do jogo era tenso e que os delegados escalados para a partida, João Formosinho e José Domingues, presenciaram os acontecimentos esperando-se que sejam descritos no relatórios que são da sua responsabilidade.
Também Manuel Mota deverá relatar os factos no respectivo documento escrito.

LINDELOF SOBRE RENOVAÇÃO:«FOI UMA DECISÃO FÁCIL»


Victor Lindelof explicou porque decidiu prolongar contrato com o Benfica numa altura em que muitos davam como quase certa a transferência para o Manchester United.

«Foi bom ter renovado com o Benfica por mais um ano. Gosto do clube e sinto que estou a evoluir a cada dia que passa. Foi uma escolha fácil. Ambas as partes estavam satisfeitas e o clube quis dar-me um sinal de que estão satisfeitos com o trabalho que tenho feito», disse ao jornal sueco Expressen.

O defesa-central fez um balanço positivo da época: «Tenho recebido muita responsabilidade e estou a participar em muitos jogos e está a ser divertido e gratificante.»

E mostrou-se indiferente aos rumores sobre o interesse do Manchester United: «Muito se tem escrito mas nada disso perturba a minha concentração. Estou sempre concentrado no que é importante para mim e para a equipa. Não me afetou em nada. Se estive perto de assinar pelo United? Como disse, estou apenas concentrado no Benfica. Nunca disse nada sobre o que se escreveu porque estou focado no meu trabalho.»

Questionado se pensa deixar a Luz no verão, Lindelof respondeu: «Tenho um contrato longo com o Benfica e estou a crescer nesta equipa. É um grande clube e estou a crescer todos os dias. Tenho 22 anos e não tenho pressa de sair.»

ESTRUTURA: O QUE É COMO CONTRIBUI


"Tem mais ou menos peso que a liderança e o papel do treinador?

Muito se fala (apenas em Portugal?) da estrutura no sucesso da equipa de futebol. O que contribui e se afinal tem mais ou menos peso que a liderança e o papel do treinador. A discussão não é nova, mas cada vez que um treinador sai como campeão e o clube continua ou não continua como campeão, a discussão aparece de modo mais veemente.
Ou então, porque um clube consegue manter os títulos independentemente do treinador que está ou que sai. Um estudo elaborado analisou os campeonatos regulares (82) e destacou alguns indicadores interessantes para quem gosta de gestão desportiva, organizações, treinadores e lideranças. Convém relembrar os mais distraídos que em 40% dos campeonatos, os três denominados grandes não ocuparam as três primeiras posições. Às vezes esquecemo-nos de que há ‘vida’ para lá dos grandes. 
Mas voltando ao estudo, o que nos deram esses 82 campeonatos? Para quem gosta mesmo desta discussão da estrutura e o papel do treinador, os dados são muito explícitos: a estrutura contribui bastante mais para manter o sucesso (e neste estudo o sucesso era ser campeão) do que o treinador. Mais: um treinador que chega campeão a um clube, diminui as hipóteses desse clube ser campeão.
De modo mais simples: o que pressupõe é que esse treinador chega mais experiente (é verdade) mas traz consigo (supostamente) um conjunto de práticas que não são ou compatíveis ou alinhadas com o seu novo clube. Manter um treinador campeão aumenta consideravelmente as hipóteses de ser campeão, comparativamente a ir buscar uma outra qualquer solução.
Uma revisão rápida permite-nos confirmar que esta época o campeão será mais uma vez um treinador que será campeão ou pela primeira vez em Portugal ou por um treinador que foi a primeira vez campeão em Portugal pelo clube onde permanece. Desde da década de 1980 por exemplo, os treinadores campeões são treinadores que foram campeões em Portugal ou pelos clubes onde sempre estiveram como campeões ou foram uma única vez e sempre na primeira época.
O que é a estrutura? Discussão menos explícita, mas considerou-se e considera-se a estrutura a permanência das condições que permitem ou são necessárias para que uma equipa com aspirações a ser campeã necessita: organização, condições físicas, staff, apoio organizacional, o mesmo presidente, etc.
A discussão na praça pública é bem mais subjectiva do que estes dados vieram demonstrar. Há excepções? Claro. Poucas regras não apresentam excepções. Mas esta regra do peso da estrutura vs treinador deixa poucas margens de fundamentação. Pelo que considero bem mais pertinente tentarmos perceber o que é de facto uma estrutura campeã e que requisitos um treinador necessita para se adaptar à estrutura e conseguir aportar todo o seu conhecimento e experiência."

Rui Lança, in maisfutebol

segunda-feira, 20 de março de 2017

O OUTRO BRUNO DO FACEBOOK


O ex-candidato à presidência do Benfica, Bruno Costa Carvalho, criticou a abordagem do Benfica ao mercado de inverno.
Bruno Costa Carvalho, antigo candidato à presidência do Benfica, utilizou a conta pessoal do Facebook para deixar algumas críticas à abordagem do Benfica ao mercado de inverno, realçando que "não é lógico enfraquecer um plantel em janeiro".
"Não se pode, não se deve, não é lógico, enfraquecer um plantel em janeiro. Em janeiro pode-se, deve-se, e é lógico, reforçar o plantel em alguma posição que se está mais débil. Uns reforçaram-se, outros andaram por meia Europa a oferecer jogadores, porta a porta. Os resultados estão à vista. Dito isto, temos a obrigação de ganhar o nosso jogo na Luz. Se o fizermos, estes jogadores poderão corrigir erros clamorosos de uma gestão despesista que se vê forçada a vender tudo o que mexe. E não me venham dizer que só sei criticar nas horas difíceis. Disse-o, avisei e tentei prevenir no tempo certo. Não me peçam que me cale quando acontece exatamente o que temia", atirou Bruno Costa Carvalho, que abordou ainda o clássico diante do FC Porto.

"Deixo aqui um aviso que me parece importante: há que trabalhar psicologicamente esta equipa. O semblante dos jogadores que estavam no banco, a partir do meio da segunda parte, não faz sentido. Mesmo que percamos a liderança amanhã (coisa que não é nada certa), vamos jogar com o Porto em casa e é para ganhar! Os rostos dos jogadores do Benfica indiciavam receio. Mas, estamos com medo do quê? Para ganhar ao Porto temos que ser fortes mentalmente. Há que trabalhar seriamente esse ponto. Fica o aviso. Construtivo", rematou o ex-candidato à presidência do Benfica.



OBS: Candidato vencido e esmagado, agora é mestre em treino e psicologia de grupo, haja pachorra,não ver que uma equipa que desde o início da época tem tido uma enxurrada de lesões de que não há memória, e por isso o treinador não poder ter esplanado uma equipa tipo, antes pelo contrário, anda sempre a improvisar, isso paga-se. Tivessem os nossos adversários o mesmo problema que nós e já tinhamos o tetra no bucho, mas isso não importa nada. Tens direito à crítica, como temos cada um de nós, agora tentar colocar tudo em causa já é imoral. Foda-se o bicho já consegue ler expressões faciais.Tentar ser expert em matérias que não dominas é caso para dizer, porque no te callas! Quando chegar maio e formos tetracampeões vais usar a tua psicologia no caralho pá. Como é da praxe vais estar caladinho como um rato...
Haja pachorra abutre.

FOI-SE O GALINÁCIO


O Moreirense anunciou hoje a saída do treinador Augusto Inácio, "por motivos pessoais". O técnico vai ser substituído por Petit.
Inácio, que chegou a Moreira de Cónegos a 28 de novembro para substituir Pepa, conduziu o Moreirense à conquista histórica da Taça da Liga em janeiro, mas, desde então, não somou qualquer vitória, levando já oito jogos sem ganhar.
Em comunicado publicado no site ofical e nas redes sociais, o clube revela:

O Moreirense Futebol Clube, Futebol SAD informa que terminou, nesta data, por motivos pessoais e de forma amigável, o contrato com o seu técnico Augusto Inácio.
A Augusto Inácio, o Moreirense FC agradece todo o empenho e profissionalismo demonstrados e deseja as maiores felicidades profissionais e pessoais.
O próximo treinador já está escolhido. Armando Teixeira, conhecido por “Petit”, inicia funções amanhã.
Petit assina contrato com o clube até ao final da temporada com mais uma época de opção e conta com os atuais adjuntos na sua equipa técnica.
Petit, ex-treinador do Tondela assinou com o conjunto de Moreira de Cónegos, 16.º classificado da I Liga de futebol, após 26 jornadas, até ao final da temporada, com mais uma de opção, e inicia funções na terça-feira.
O Moreirense soma cinco vitórias, seis empates e 15 derrotas na I Liga, para um total de 21 pontos, que lhe dão o 16.º lugar, quatro pontos à frente de Tondela e Nacional, as duas equipas que se encontram nos lugares de despromoção.

O JOGO DO TÍTULO E AS SUAS CIRCUNSTÂNCIAS


"É tentação, muitas vezes fatal, falar dos jogos de futebol tendo como base apenas os resultados. As vitórias tudo branqueiam, e se são expressivas ainda lavam mais branco, e as derrotas são pintadas em tons escuros, de drama e frustração. Esta abordagem está presente não só nos adeptos, mas também nos comentadores, arrastados pela corrente em inúmeras ocasiões, quando deviam ser mais frios e analíticos. Não digo que nunca sucumbi a esta tentação, que jamais abordei um jogo sem pensar sequer no desfecho. No entanto, ver para lá da mera expressão numérica final, deve ser o santo graal que todos os analistas do futebol devem perseguir, numa demanda que os tornará seguramente melhores.
Vem este introito a propósito dos dois últimos jogos do Benfica, uma goleada ao Belenenses e um nulo a Capital do Móvel, que foram lidos pelos adeptos (e não só) apenas à luz do desfecho.
No derby da Luz, os encarnados mereceram ganhar, é certo, assinando, contudo, uma exibição que me motivou muitas interrogações, nomeadamente pela forma como a equipa defendeu, em muitas ocasiões, demasiado atrás, como deixou partir o jogo e, sobretudo, como lidou mal, nas saídas de bola, com a mais pequena pressão dos avançados do Restelo. Porém, 4-0 deram para maquilhar quase tudo...
Em Paços de Ferreira, onde o Benfica empatou a zero, o tem dos adeptos (e não só) no fim do jogo foi, no mínimo, agreste, numa noite em que a equipa de Rui Vitória foi organizada, coerente e rigorosa, pecando, essencialmente, na finalização, frente a um adversário que se defendeu muito bem.
Ou seja, vendo tudo isto na perspectiva do treinador, Rui Vitória deverá ter matutado muito mais, creio, do ponto de vista do trabalho a fazer, depois dos 4-0 ao Belenenses do que após o empate em casa dos castores.
Mas há a equipa e as suas circunstâncias e o próximo jogo do Benfica fica indelevelmente marcado pelo empate sadino no Dragão. Pelo menos do ponto de vista anímico o FC Porto ofereceu uma vitamina importante aos tricampeões, um pouco à imagem do que sucedeu nos idos de Lopetegui, quando desperdiçou ocasiões para aproveitar escorregadelas do adversário. Ficam para a Luz as cenas dos próximos episódios, decisivos ou não, logo se verá...

(...)
ÁS
João Carvalho
Quis o destino que fosse um jogador emprestado pelo Benfica ao V. Setúbal a marcar, no Dragão, um golo que custou a liderança do campeonato ao FC Porto, em vésperas de viajar à Luz. João Carvalho é um talento emergente made in Seixal e está confirmar argumentos que irão fazê-lo passar de promessa a certeza.

DUQUE
Nuno Espírito Santo
Que balde de água fria! Na noite em que era proibido falhar, com o Dragão cheio e todas as legítimas expectativas de chegar ao primeiro lugar do campeonato depositadas no onze azul e branco, a equipa de Nuno Espírito Santo fraquejou, não aguentou a pressão e acabou por dar uma injecção de confiança ao Benfica.

José Mourinho e a sucessão de Alex Fergunson
«Ainda temos duas portas abertas para jogarmos na próxima época na Liga dos Campeões»
José Mourinho, treinador do Manchester United
Num clube gigantesco como o Manchester United, tem sido tarefa espinhosa substituir, à altura, Sir Alex Fergunson. Depois dos fracassos de David Moyes e Louis Van Gaal, o clube de Old Trafford parece começar a sentir-se confortável sob a liderança de José Mourinho. Longe da luta pela Premier League, o Special One vai fazendo pela vida, de olhos postos na Champions do próximo ano...

José Couceiro
Vitória de Setúbal, que tem um dos orçamentos mais baixos da I Liga (há quem garanta que é mesmo o mais baixo...), 'tirou' quatro pontos ao FC Porto, cinco ao Benfica e afastou o Sporting (que ainda vai ao Bonfim para o campeonato) da Taça da Liga. Tivessem os sadinos a mesma qualidade competitiva contras equipas da segunda metade da tabela classificativa e andariam, por certo, nos lugares de luta directa pela Liga Europa. De qualquer forma, honra a José Couceiro, um dos melhores treinadores portugueses, com qualidades, mal aproveitadas no contexto nacional, que poderiam fazer dele um 'manager' de excelência...

Irlanda: Inglaterra depois dos 'all blacks'
A Inglaterra, já vencedora das Seis Nações, jogou em Dublin a hipótese de não só fazer o Grand Slam mas sobretudo de bater o recorde de vitórias seguidas de uma selecção de primeira nível (ia nas 18, empatando os all blacks). E não é que perdeu? A Irlanda, que tinha acabado com o recorde dos kiwis, fez o mesmo à equipa da rosa..."

José Manuel Delgado, in a bola