quarta-feira, 25 de abril de 2018

CAMINHO PARA O SANEAMENTO FINANCEIRO


"A Liga, oportunamente, impôs aos clubes/SAD´s um programa de saneamento financeiro, que se aplaude, com término em 2022.
Paralelamente a profissionalização do futebol exige o cumprimento pontual do direito ao salário, conferindo a tranquilidade e a estabilidade aos praticantes e às suas famílias e uma verdadeira igualdade entre competidores. Embora basilar, este princípio continua a sofrer violações.
Com forte intervenção do Sindicato, perante um incumprimento salarial massificado, camuflado pela apresentação de declarações de quitação subscritas pelos jogadores e remetidas às entidades fiscalizadoras, esta realidade é hoje, felizmente, a excepção.
A introdução de procedimentos regulamentares que atribuíram, definitivamente, o ónus da prova ao clube, como não podia deixar de ser, permite-nos dizer que hoje existem mecanismos para identificar os infractores e aplicar sanções. A comissão de auditoria assume especialmente relevância.
Reitero o que já disse noutro contextos, actualmente o revisor oficial de contas certifica o cumprimento das obrigações salariais pelo clube, não basta que o cumprimento seja declarado pela entidade empregadora, ou subscrito pelo trabalhador.
O último controlo financeiro, que decorreu até 15 de Abril e no qual os clubes tiveram de fazer prova do pagamento das retribuições até 30 de Março deste ano, foi realizado no âmbito deste procedimento.
Num ambiente de maior transparência devemos exigir maior responsabilidade, denunciando a persistência de vícios habituais no final de época desportiva.
Quero, por isso, deixar um apelo aos jogadores, para não adiarem o problema. E aos clubes, para que não fragilizem os jogadores e a integridade da competição. Os riscos são demasiado perigosos."

PRIMEIRAS PÁGINAS


ESPECIAL INFORMAÇÃO: DENUNCIA ANÓNIMA - BENFICA TV HD - 24 ABRIL 2018

                                           

terça-feira, 24 de abril de 2018

JORNAL I DENUNCIA REDE MONTADA PELO FC PORTO PARA DESTRUIR A HEGEMONIA DO BENFICA


CLUBE
Foi criada uma estrutura com elementos da direção portista, da Justiça, da Comunicação Social e das forças policiais para descredibilizar na praça pública a marca do Clube, de acordo com a notícia publicada nesta terça-feira.
O FC Porto “montou uma rede com o intuito de destruir a hegemonia do Benfica” – a notícia, com chamada de primeira página, é difundida nesta terça-feira pelo jornal I. O artigo revela ainda a existência de uma “estrutura composta por dirigentes do FC Porto, elementos da Justiça, órgãos das forças policiais e meios de Comunicação Social” que visava descredibilizar a Marca Benfica junto de parceiros estratégicos.
O jornal I divulga o assunto com base numa denúncia anónima – para salvaguardar a integridade física dos autores e por medo de represálias – a que teve acesso, e que deu entrada no Ministério da Justiça, na Procuradoria-Geral da República, no DCIAP, na Polícia Judiciária, na Liga Portugal e na Federação Portuguesa de Futebol. A mesma revela “nomes de dirigentes portistas, magistrados, agentes da PJ e jornalistas”.
Segundo o difundido pelo jornal I, tudo começou há cerca de um ano, em abril de 2017, aquando da “compra da correspondência privada do SLB”. A partir daqui desencadeiam-se uma série de encontros entre elementos da estrutura do FC Porto e do Sporting, primeiro no Hotel Altis e depois no Hotel AC Porto Marriot (estes com periodicidade semanal) com o objetivo de “delinear a estratégia que visava descredibilizar o Benfica”. O mesmo artigo acrescenta que “as informações eram passadas a blogues afetos a portistas e sportinguistas” e reveladas em timings definidos pelas respetivas estruturas dos dois clubes rivais. O jornal I alega que na reunião realizada no Hotel Altis, em Lisboa, “ficou definido que fontes da estrutura dos dois clubes ficariam responsáveis por veicular informação dos e-mails para comentadores em programas de debate e para os jornais Expresso, O Jogo, Jornal de Notícias e Correio da Manhã, e ainda para a RTP e para a revista Sábado”.
Sobre esta acusação feita à estrutura montada pelo clube portista, a Procuradoria-Geral da República admitiu ter recebido “recentemente algumas denúncias, designadamente anónimas, relacionadas com o fenómeno desportivo e envolvendo vários clubes”. “O Ministério Público, sempre que tem conhecimento de factos suscetíveis de integrarem a prática de crimes, procede em conformidade, encaminhando-os para investigação”, adianta fonte da PGR contactada pelo I.
A denúncia anónima a que o jornal I teve acesso revela que o “FC Porto domina decisões na Justiça” e enumera oito casos com claro benefício para os portistas. Processo Fénix, absolvição de Pinto da Costa e Antero Henrique pelo Tribunal de Guimarães; Rafa, jogador emprestado pelos portistas ao Rio Ave, foi afastado do processo de alegada viciação de resultados por parte dos vila-condenses; e fugas de informação de processos judiciais como foram os casos dos e-mails e dos vouchers: estes são alguns dos casos expostos na carta.
Na denúncia enviada às diversas entidades sublinha-se que estes factos “podem ser facilmente confirmados através do arquivamento do caso Fénix e do chumbo da providencia cautelar do Benfica sobre a divulgação dos e-mails”.
Na carta a que o I teve acesso pode ler-se que “toda a gente no Porto sabe quem são os representantes da Justiça que costumam frequentar os camarotes do Estádio do Dragão, pertencem aos seus órgãos sociais e têm um longo historial de decisões que ultrapassam qualquer lógica sempre que está em causa os interesses de Pinto da Costa e dos dirigentes do FCP”.
Sport Lisboa e Benfica

A DIFERENÇA QUE FAZ UM TREINADOR


O melhor futebol praticado em Portugal não é de nenhum dos três grandes. Está em Chaves e tem um responsável: Luís Castro. Claro está que o Chaves é uma equipa bem mais fraca do que Benfica, Porto, Sporting, Braga e até Rio Ave. Com um orçamento mais reduzido (3 milhões, abaixo de Rio Ave – com 6 – e de Braga – com 12) e com um valor de mercado, de acordo com o Transfer Markt, que é, apenas, o nono da Liga NOS, o diferencial na qualidade individual dos jogadores e, não menos importante, uma estrutura bem mais recente na Iª Liga e menos profissional, ajudam a explicar o lugar ocupado na tabela classificativa.

Mas uma coisa é olharmos para os rrsultados do Chaves, outra, bem distinta, é reconhecermos uma ideia de jogo consistente, baseada na posse de bola, num futebol posicional, que não pode deixar de entusiasmar quem goste, de verdade, do desporto rei. Sintomaticamente, pelas redes sociais pululam vídeos virais do Chaves de Castro, à imagem dos do Nápoles de Sarri, do City de Guardiola ou do Bétis de Setién. Em todos os casos, um futebol envolvente, com as equipas a chegarem juntas à baliza, muita circulação de bola e uma elegância plástica que, se depreende, é tradução de uma ideia de jogo desafiante.
Por isso mesmo, é de inteira justiça o espaço dedicado a Luís Castro no último número da The Tactical Room. Numa interessante entrevista na revista dirigida por Martí Perarnau, Castro elabora sobre a sua ideia para o futebol. Não é um discurso sobre gestão de emoções ou sobre o papel da vontade de vencer. Bem pelo contrário, é uma conversa onde se prova que, também, no futebol os aspetos emocionais decorrem de uma abordagem racional.
Recupero duas ideias de Luís Castro: "uma equipa, em posse, tem de jogar sempre pensando no coletivo, e para que isso aconteça, todos se têm de posicionar de modo adequado. (...) é muito difícil uma jogada em que se integre a totalidade dos onze jogadores terminar numa situação de golo"; mas o treinador não esconde o seu "orgulho com o modo como a equipa trabalha para o alcançar. É o que procuramos nos treinos diários (...), um reflexo da nossa ideia de jogo". Uma ideia de jogo e treino orientado para a traduzir em campo.
Parece evidente, mas é uma abordagem que merecia ser mais partilhada. Até porque, após ter-se sagrado campeão da exigente IIª Liga com o Porto B (facto notável, considerando a realidade das equipas B e a maturidade competitiva de muitos dos clubes que disputam a competição), depois de, já no ano passado, ter sido autor do futebol mais interessante da Iª Liga, quando conduzia o Rio Ave, agora, quando se vê o Chaves a jogar, é impossível deixar de pensar o que faria este treinador noutro contexto, com mais recursos, uma estrutura de topo, estabilidade e jogadores com outra qualidade individual. Luís Castro merece-o, mas, acima de tudo, merecem todos aqueles que gostam do futebol jogado em campo.
Pedro Adão e Silva, in Record

ANÁLISE IMPRENSA DESPORTIVA SL BENFICA - BENFICA TV HD: 24 ABRIL 2018

                                           

PRIMEIRAS PÁGINAS


segunda-feira, 23 de abril de 2018

CHAMA IMENSA BENFICA TV HD | 23 ABRIL 2018

                                           

QUATRO CONSELHOS A BRUNO DE CARVALHO


"Não sei se a autocrítica está no ADN de Bruno de Carvalho. Mas só lhe fará bem se reflectir sobre o que Daniel Sampaio disse ao 'DN'

Daniel Sampaio, em entrevista ao Diário de Notícias (uma peça jornalística muitíssimo relevante), deixou algumas ideias sobre a crise do Sporting, que passo, com a devida vénia, a transcrever...
«Bruno de Carvalho tem de perceber que não há sportinguistas dispensáveis, mesmo aqueles que o criticam. Isto implica uma posição de ser o presidente de todos os sportinguistas. Discordo que ele tenha dito que haja sportinguistas e sportingados. São todos sportinguistas, uns são apoiantes, outros não são apoiantes. Numa organização como o Sporting, com o número de adeptos que tem, haverá sempre pessoas que não concordam com ele e ele tem que perceber isto e conquistar cada vez mais pessoas para a sua causa e para o seu trabalho para ser cada vez mais o presidente de todos os sportinguistas».
«Espero que Bruno de Carvalho não reincida (...). De qualquer forma há uma linha que é a critica técnica aos jogadores e essa linha não pode ser passada. Quando um presidente faz isso está a entrar num terreno que não é o melhor. Penso que o pode dizer. Lembro-me de João Rocha entrar no balneário e criticar os jogadores, espicaçar. Em síntese, houve um erro, foram muito aumentadas as consequências desse erro e esse erro está ultrapassado. Espero que não haja mais páginas do Facebook, que os jogadores comuniquem directamente com o presidente e vice-versa.».
«Existe, em Bruno de Carvalho, alguma pressa em responder mas não pode ser dito que seja uma pessoa que não sabe o que está a fazer. Quando se diz que uma pessoa está doente significa que não sabe o que está a fazer e quando se insinua que há um problema psiquiátrico sem falar com a pessoa mais grave é, porque não há maior estigma que a doença mental. Como professor catedrático de psiquiatria acho isso uma coisa lamentável e farei tudo para acabar com esses falsos diagnósticos».
«bem do Sporting, Bruno de Carvalho devia reconhecer junto a Marta Soares o erro do facebook e Marta Soares devia reconhecer o erro do pedido de demissão. As pessoas falam sobre o 'estranho silêncio de Marta Soares'. Para mim foi uma pessoa que reflectiu...»
E Bruno de Carvalho, será que vai reflectir sobre os (sábios) conselhos de Daniel Sampaio?

Ás
Eduardo 'Toto' Salvio
Herói improvável no golo que deu a vitória ao Benfica na Amoreira, não por ter marcado mas sim pela forma como meteu a bola no fundo da baliza do Estoril, num belo golpe de cabeça, em rotação, um gesto técnico pouco habitual no rico portfolio do internacional argentino. O melhor Salvio está aí. Rumo ao Mundial?

Ás
Pedro Filipe 'Pepa'
Quando se fizer a história desta Liga de 2017/18, o nome de Pepa, 37 anos, deve constar no lado dos vencedores. A tarefa de manter o Tondela entre os maiores não era fácil, mas aquilo que se viu foi uma equipa personalizada nos momentos importantes, à procura da sorte, sem nunca ficar à espera dela. Treinador interessante!

Duque
Gonçalo Martins
VAR do Estoril - Benfica vai ter de dar muitas explicações a quem de direito pela omissão grave no lance em que Raúl Jiménez foi atingido por uma cotovelada, numa situação de penalty e cartão vermelho. O que é que lhe faltou? Autoridade? Coragem? Competência? O Conselho de Arbitragem deve uma explicação...

O treinador que diz o que deve dizer. Mas...
«Foi uma goleada por 2-1 face às ocasiões que tivemos (...) Acabámos por marcar perto do fim e ganhar de forma justa...»
Rui Vitória, treinador do Benfica
O Benfica passou na Amoreira em estado de sofrimento, depois de 90 minutos jogados pela equipa encarnada entre o sofrível e o razoável. A três jogos do fim do campeonato, percebe-se o discurso de Rui Vitória, pese embora seja identificável uma divergência material entre o que é dito para ser ouvido na cabina e aquilo que chega à opinião pública. E Jonas, o que se passa?

Um brinde com vinho no adeus a Espanha
Andrès Iniesta, um dos melhores jogadores do século XXI, ergueu a Copa del Rey, penúltimo triunfo ao serviço dos blaugrana (a Liga está quase). Vai para a China, para a equipa de Paulo Bento, por causa do vinho, que produz em Fuentealbilla, entre Valência e Madrid. Compraram-lhe a produção para os próximos 10 anos...
Ruth
Estreia num cinema próximo de si, a 3 de Maio, um filme português, realizado por António Pinhão Botelho, que conta a história da luta entre Benfica e Sporting por um jogador chamado Eusébio da Silva Ferreira. Trata-se de uma obra notável, que mostra, através da equipa que o concretizou, como as novas gerações estão bem preparadas. Remete-nos para o Portugal do Estado Novo, por altura do inicio da guerra colonial e para os jogos de poder na sociedade lisboeta, com os eternos rivais sempre na ribalta. Além da forma clara como a história é contada, a fotografia é de enorme qualidade e não falta o bom sabor dos velhos tempos, da era de outro do cinema português, plasmada na cena do «mete cavilha, tira cavilha», digna de António Silva. Parabéns à Nônô..."

José Manuel Delgado, in A Bola

AS REGRAS DOS JOGOS BENFICA TV HD :: 23 ABRIL 2018