domingo, 28 de agosto de 2016

PANCADA CENTRAL


BENFICA - ABC BRAGA, 25-24


SL Benfica vence ABC e traz mais um Troféu para o Museu…
SL Benfica e ABC mediram forças este domingo no Pavilhão Antoine Velge (Setúbal), tendo como pano de fundo a disputa da Supertaça de Andebol… num desafio impróprio para cardíacos!
O SL Benfica, vencedor da Taça de Portugal, defrontou o campeão nacional ABC, num desafio que abriu a época oficial, apesar de ser referente ainda a 2015/16.
Frente a frente duas equipas que se conhecem muito bem, num desafio pautado pelo equilíbrio, com domínio alternado para cada um dos lados. Muita raça, muita entrega, com as “águias” a pecarem na finalização, face, diga-se, a um guardião minhoto inspirado.


O intervalo chegou com o ABC a ter uma vantagem de dois golos: 13-15.
Na segunda metade mais do mesmo e a cinco minutos do fim tudo parecia perdido com o SL Benfica com uma desvantagem de quatro golos (20-24)…
Ora, a jovem equipa das “águias”, empurrada por uns adeptos fantásticos, acreditou sempre, puxou dos galões, arrancou para uma reviravolta espetacular e acabou por vencer a partida, por 25-24.
Triunfo justíssimo, da superação, de uma formação plena de juventude e ambição, com a aposta do Clube na Formação a dar frutos!
Depois das conquistas em 1990, 1994, 2011 e 2013… aí está a 5.ª Supertaça do Clube, que vem direitinha para o Museu Benfica Cosme Damião. Está mais rico o palmarés do Andebol!
O SL Benfica alinhou de início com o seguinte sete: Nikola Mitrevski, Davide Carvalho, Tiago Pereira, Belone Moreira, Uelington da Silva, Fábio Vidrago e Ales Silva.

Marcaram para as “águias”: Ales Silva (4), Fábio Vidrago (5), Belone Moreira (2), Alexandre Cavalcanti (2), Uelington da Silva (3), Stefan Terzic (2), João Pais (2), Paulo Moreno (2), Tiago Pereira (1) e Davide Carvalho (1).
Segue-se o arranque do Campeonato Nacional, com a 1.ª jornada da Fase Regular agendada para o próximo fim de semana. O SL Benfica inicia a competição na casa do Arsenal C. Devesa.
Reações à partida
“Merecíamos por todo o trabalho que temos vindo a fazer. O público apoiou-nos de princípio a fim. Demos o máximo, acreditámos sempre, e dedico este Troféu a toda a Família Benfiquista”, Mariano Ortega

“Estivemos a perder por quatro golos e os nossos adeptos empurram-nos para esta vitória. Era o nosso objetivo… Foi para eles e por eles… e que continuemos assim. As vitórias trazem moral e começar a ganhar é sempre muito bom”, João Pais.
“Esta é uma equipa que joga há vários anos com jogadores da Formação e isso está a dar frutos. Este Troféu vai-nos dar muita motivação para o resto da época”, David Carvalho
“Este Troféu é fruto de um trabalho muito forte e intenso. Somos justos vencedores”, Hugo Figueira
“Estou muito contente e orgulhoso pelo que a equipa conseguiu fazer hoje. Trabalhámos muito e é justo”, Nikola Mitrevski

“Era um jogo especial para mim mas agora é um novo começo. Há que vencer pelo Benfica e foi isso que começamos a fazer. Estou muito orgulhoso”, Fábio Vidrago
“Os adeptos são fantásticos e hoje mostraram-no mais uma vez. A equipa merece este apoio e tenho esperança que a equipa continua a esforçar-se, a ganhar e a merecer este apoio”, Domingos Almeida Lima

DIA DE CLÁSSICO PARA UM BENFIQUISTA


D. AVES - BENFICA B, 1-2


SEIS PONTOS JUSTOS EM SEMANA DESGASTANTE

A equipa B do SL Benfica viajou esta manhã de domingo até ao Estádio do Clube Desportivo das Aves onde, frente aos locais, abriu a 5.ª jornada da Ledman LigaPro.
Depois da vitória em Vizela a meio da semana, foi uma formação moralizada e confiante aquela que subiu ao relvado dos avenses.
Hélder Cristóvão, na antevisão, referira a importância da aposta do Clube na Formação e foi com dez jogadores portugueses – 8 made in Caixa Futebol Campus – no onze inicial que as “águias” abordaram a partida.
Entrada forte dos anfitriões, com o Benfica a responder e a chegar ao golo inaugural. Minuto 22’ enorme assistência de Diogo Gonçalves a descobrir Heriberto Tavares que, na cara de Quim, rematou com frieza para o 0-1.
Segunda parte mais mexida e com mais golos… Depois de ambas as formações terem visto os ferros devolver o esférico (Heriberto, 51’), aos 60’ surgiu o golo do empate.
Cruzamento de trivela de Nelson Pedroso, Luis Barry surge ao segundo poste sem marcação e, de cabeça, coloca o marcador em 1-1.
As “águias” não tardaram na resposta e, apesar de jogarem frente a um Aves com maior período de descanso pois não jogou a meio da semana, mostraram maior frescura e rapidez… e o golo surgiu naturalmente.
Minuto 63’, Dálcio vai à linha cruzar na esquerda para Diogo Gonçalves, no coração da área, receber no peito e rematar de primeira para o 1-2.
Com este resultado, o SL Benfica B soma 8 pontos, fruto de duas vitórias, dois empates e uma derrota.
O SL Benfica B alinhou de início com André Ferreira, Alan Benitez, Ruben Dias, Francisco Ferreira, Yuri Ribeiro, Pedro Rodrigues, Guga, Dálcio, Heriberto Tavares (Carlos Ponck, 60’), Diogo Gonçalves (Aurélio Buta, 84’) e José Gomes (Gilson Costa, 76’).
Suplentes não utilizados: Ivan Zlobin, João Escoval, Pedro Amaral e Ivan Saponjic.
Segue-se uma paragem competitiva para compromissos das Seleções, com a II Liga a regressar no fim de semana de 10/11 de setembro. À 6.ª jornada da competição, os comandados de Hélder Cristóvão regressam ao Caixa Futebol Campus para a receção ao Académico de Viseu.
Reações ao desafio
“Foi um golo importante mas a vitória foi o mais importante. Tivemos dois jogos seguidos, conseguimos duas vitórias, não é fácil, por isso saímos satisfeitos e com grande moral. O segredo é trabalhar, somos um grupo jovem e unido e fomos justos vencedores. Faço o meu trabalho, estou focado no Benfica e é no Benfica que quero jogar”, Diogo Gonçalves
“Defrontámos um excelente adversário, o melhor até agora. Sabíamos o que íamos encontrar e sabíamos também o que fazer. O segredo passou por ter bola, gerir muito bem os vários momentos de jogo e este grupo muito jovem começa já a ter inteligência táctica necessária. Fomos felizes e certeiros. Foi uma semana desgastante, com mais um jogo difícil, onde demos uma grande resposta. Vai ser jornada a jornada, lutar até ao fim”, Hélder Cristóvão.

FOI UM GOLO IMPORTANTE PARA A EQUIPA


Carrillo estrou-se a marcar pelas “águias” no triunfo na Madeira.
O SL Benfica defrontou e venceu esta noite de sábado a formação do CD Nacional, por 1-3, num desafio referente à 3.ª jornada da Liga NOS.
Ali Ghazal, com um autogolo, colocou as “águias” em vantagem, Tobias Figueiredo fez o empate, Carrillo, recém-entrado no jogo, fez o 1-2 e Raúl, já no período de compensação, rematou para a conquista dos três pontos.
No final do encontro, Carrillo analisou as principais incidências e elogiou o coletivo.
“Teve um significado grande, vim para ajudar a equipa, vim somar e foi um golo importante para ajudar a equipa. O jogo estava complicado e fui feliz ao marcar”, começou por dizer, em declarações na flash interview.
O peruano estreou-se a marcar de “águia ao peito”…
“É um golo que dá confiança. É algo que qualquer jogador que jogue em posições adiantadas gosta de fazer. Há que continuar neste caminho, com este trabalho para ajudar a equipa a conquistar pontos”, explicou.
Sabemos que todos os jogos hoje em dia são complicados e nós trabalhamos diariamente para simplificar o que é complicado. A equipa trabalhou até ao final e conseguimos alcançar o objetivo”, acrescentou.
Domingo é dia de clássico, mas o foco está na Luz.
“Trabalhamos e estamos focados no nosso trabalho. Os adversários vão perder pontos para conseguirmos ultrapassá-los. O melhor resultado era o empate”, concluiu Carrillo.
Depois de uma vitória e um empate nas duas primeiras rondas da Liga NOS (2-0 em Tondela e 1-1 na receção ao V. Setúbal), com este triunfo – justo - na Madeira, as “águias” somam 7 pontos.
O SL Benfica regressa à Catedral somente à 5.ª jornada, com a receção ao SC Braga. Antes há nova viagem, com o Tricampeão a defrontar, fora de portas, o Arouca à passagem da 4.ª ronda da Liga NOS.

CAPAS DO DIA


HUMOR ARDENTE


sábado, 27 de agosto de 2016

NACIONAL - BENFICA, 1-3 : CRÓNICA, FOTOS (RESUMO)


TRIUNFO NA CHOUPANA

Tricampeão sai da Pérola do Atlântico com os três pontos. Justo!
O Sport Lisboa e Benfica defrontou esta noite de sábado a formação do CD Nacional da Madeira, numa partida referente à 3.ª ronda da Liga NOS.
Estádio da Madeira, a “velhinha” Choupana, praticamente lotada, com 5.017 adeptos a dizerem presente, num encontro que serviu também para homenagear todos os Bombeiros que estiveram em acção no combate aos fogos que fustigaram a Pérola do Atlântico neste mês de agosto. “Obrigado a todos os heróis” foi o mote…
Com André Almeida, Luisão, Jardel e Zivkovic no Boletim Clínico, a principal novidade do onze que subiu ao relvado da Choupana foi a inclusão de Jonas na frente atacante, ladeado por Raúl.
De resto, Rui Vitória manteve a aposta na defesa, com Júlio César na baliza, Nélson Semedo e Grimaldo nas laterais, com a zona central entregue a Lindelof e Lisandro. No meio-campo, Fejsa, André Horta, Pizzi e Salvio a dar garantias de segurança, criatividade, inteligência e génio…

Apito inicial de Artur Soares Dias às 20h30… entrada forte dos “encarnados”, mas o perigo chegou dos insulares, com Washington e Salvador Agra a tirarem as medidas à baliza do Tricampeão.
Jonas, Fejsa e Raúl responderam de pronto e o golo não tardaria. Minuto 17’, arrancada de Salvio, falta, Pizzi na cobrança e autogolo de Ali Ghazal, após saída em falso do guarda-redes Rui Silva.
Jogo intenso, bem puxadinho, com Salvio (28’), Grimaldo (35’), Lisandro (42’) e Pizzi (45’+2) a terem boas oportunidades para dilatar a vantagem. Do outro lado, aos 31’, Salvador Agra, de livre direto ainda assustou mas até ao intervalo resultado não sofreu alteração.

Carrillo e Raúl resolveram
No reatar, os anfitriões entraram com tudo, com o Benfica a sacudir a pressão e a partir em busca do segundo. Primeiro Salvio viu o ferro a devolver-lhe o esférico, depois, Raúl e Jonas chamaram Rui Silva ao serviço.
Na sequência de um canto, aos 63’, o golo do empate, com Tobias Figueiredo a saltar mais alto e a bater Júlio César.
Rui Vitória mexeu de pronto e foi do banco que veio o golo do triunfo, com o recém-entrado Carrillo, depois de uma enorme jogada de Salvio, a rematar fortíssimo para o 1-2 (70’).

 Salvio, Raul and Andre Carrillo celebram o golo
Já em período de compensação, e em superioridade numérica face à saída do lesionado Ali Ghazal, Raúl antecipa-se e surge isolado na cara de Rui Silva não dando hipótese: 1-3… estava encontrado o resultado final!
Depois de uma vitória e um empate nas duas primeiras rondas da Liga NOS (2-0 em Tondela e 1-1 na receção ao V. Setúbal), com este triunfo – justo - na Madeira, as “águias” somam 7 pontos.
O SL Benfica regressa à Catedral somente à 5.ª jornada, com a receção ao SC Braga. Antes há nova viagem, com o Tricampeão a defrontar, fora de portas, o Arouca à passagem da 4.ª ronda da Liga NOS.
O SL Benfica alinhou com o seguinte onze: Júlio César; Nélson Semedo, Lindelöf, Lisandro e Grimaldo; Fejsa, André Horta (Celis, 65’), Pizzi (Carrillo, 66’) e Salvio; Jonas (Gonçalo Guedes, 88’) e Raúl.

ONZE DO BENFICA


LEONOR EM CORROSIVIDADE MÁXIMA


A 2.ª jornada da Liga terminou com tais sucessos que o presidente do Sporting não se aguentou.
Veio na melhor altura este deslize caseiro do Benfica. Chegou muito a tempo para pôr termo ao sentimento generalizado entre os benfiquistas de que quem ganha trés campeonatos de seguida, inevitavelmente ganharão o quarto. serve o remoque não só não só para os adeptos como também para os jogadores, treinadores, dirigentes e até para a própria águia "Vitória" que, no voo inaugural da temporada, descendo em círculos lá das alturas até quase à relva, parecia sorrir de tão confiante na linha da trajetória. É verdade que pousou no sítio certo, ao contrário da equipa de futebol.
A segunda jornada da Liga
terminou com tais sucessos que o atual presidente do Sporting não se aguentou. Correu a elogiar "o esforço e empenho dos árbitros da 1.ª categoria para fazerem boas exibições", correndo, no fundo, para se elogiar a si próprio (subliminarmente) por ser tão esperto, ainda que sem suporte para tal. Com o respeito devido, de esperto não tem nada. Terá siso, aliás, francamente embaraçante para a classe do apito. E ainda mais para os seus dirigentes. Também para p prometedor filho do novo presidente do Conselho de Arbitragem era mais do que dispensável esta celebração. O miúdo até corou.
O Benfica joga hoje
na ilha da Madeira contra o Nacional. Como estamos no verão, é provável que não caia nevoeiro e haja jogo. Na temporada passada, o Nacional-Benfica foi interrompido por causa do nevoeiro, reatado na manhã seguinte e o Benfica, apesar de não se ver bem, ganhou com clareza. Mas não foi por causa do nevoeiro que o Benfica ganhou. Foi porque correu muito mais que o adversário. Foi isso. A maior desconsideração ao nosso Luisão anda por aí a ser cometida pelos nossos adversários, que de tanto clamarem pela sua presença em campo estando ele magoado-, mais não sugerem que o nosso Luisão em campo já não é o que era, o que muito lhes apraz pelos vistos. pior seria, no entanto, se desatassem todos a gritar que o Luisão mente na idade - como fizeram com o Renato Sanches - mas por excesso, não por defeito, porque tem 10 anos a menos do que diz a sua certidão de nascimento. Ainda havemos de chegar a esta maravilha.
A Liga dos Campeões promete.
Cabe ao Porto provar que o Leicester não passa de um fenómeno efêmero, cabe ao Sporting perdoar a Cristiano Ronaldo qualquer coisinha e cabe ao Benfica continuar a fazer boa figura na prova.
E já é um pau.

Leonor Pinhão in record