segunda-feira, 18 de novembro de 2019

FERNANDO, CRISTIANO E BERNARDO


"Se Portugal chega, hoje mesmo, à vitória 300, acredito que o nosso capitão Cristiano Ronaldo chegará ao golo 100 pela nossa Selecção.

1. Sim são três os nomes do título deste artigo. Fernando Santos, Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva. Os três são referência da nossa Selecção Nacional de futebol que hoje num Luxemburgo em que o português é, de verdade, a segunda língua, ajudarão Portugal a apurar-se directamente para um original Europeu de 2020. Europeu que, recordo, será disputado em doze países, uns integrados no espaço Schengen - ou seja sem controles de fronteiras - e outros que exigem certas formalidades para os visitantes, para aqueles milhares de amantes do futebol que quererão, legitimamente, acompanhar e vibrar com as suas selecções. E quererão cantar o hino e ver, bem de perto, os seus ídolos. Como farão, e com todo o orgulho, e pela primeira vez, os finlandeses ou repetidamente - com onze e dez presenças - espanhóis, franceses, italianos e ingleses. E, até, os ucranianos ou os polacos, com três e quatro presenças respectivamente. O que sabemos é que neste Europeu de 2020 há duos, isto é, duas cidades por grupo. O grupo A junta Roma a Baku. O B agrega São Petersburgo e Copenhaga. O grupo C combina Amesterdão e Bucareste. O grupo D liga Londres e Glasgow. O grupo E articula Bilbau e Dublin e o grupo F soma Munique e Budapeste. Será um Europeu em que os adeptos - a essência do futebol - estarão sujeitos a destinos diferentes e será, também, mais que um Europeu de futebol um verdadeiro pan-europeu de futebol! Só o grupo D será próximo, em termos de viagem e logística. O grupo A exige viajar de Roma a Baku e serão várias horas de avião. E diferentes formalidades e uma específica jurisdição, ou seja, o Azerbaijão com a sua capital bem próxima do Mar Cáspio. Mas o que importa é que Portugal marcará presença, estou firmemente convicto, e de forma sucessiva, em mais um Europeu de futebol. Desta vez para defender, também sob liderança serena e motivante de Fernando Santos, o título brilhantemente conquistado em Paris. E acredito que hoje será, igualmente, a vitória 300 da nossa Selecção. De novo face ao Luxemburgo. Como foram sugestivamente a vitória 100 (em 1986) e a vitória 200 (em 2006). Sem esquecermos, como bem recordou aqui ontem o nosso director Vítor Serpa, que há precisamente cinquenta e oito anos (1961) perdemos frente ao Luxemburgo por quatro a dois. Para espanto de toda a Europa e que nos impediu de marcar presença no Mundial de 1962 que se disputou no Chile. Mas hoje no Luxemburgo, e para alegria dos milhares de portugueses(as) que ali trabalham e dignificam a sua pátria, chegaremos, sob a batuta astuta de Fernando Santos, ao Europeu de 2020. E acreditando que vamos chegar no arranque do Verão de 2020 a Londres. Sinal que estaremos, desde logo, nas meias finais deste Europeu!

2. Se Portugal chega, hoje mesmo, à vitória 300, acredito que o nosso capitão Cristiano Ronaldo chegará ao golo 100 pela nossa Selecção. Toda a equipa quererá, antes de mais, agarrar a vitória, rumo ao apuramento directo para o Europeu. Mas, depois, - ou ao mesmo tempo... - todos os seus colegas - que o admiram tal como milhões de portugueses(as) e outros milhões que o sentem como uma das excelências contemporâneas deste planeta futebol - o ajudarão a chegar a esse marco de referência que são os 100 golos. E no final do Europeu de 2020 alcançar, e ultrapassar, os 109 golos do iraniano Ali Daei e ficar na história do futebol mundial como o goleador-mor das selecções nacionais. Cristiano Ronaldo merece estes registos Ele sente Portugal e a nossa Selecção. Ele é um dos grandes embaixadores de Portugal no Mundo. Diria que Portugal e Cristiano são, neste momento, uma associação simbólica permanente. Senti-o, emocionado, nas últimas semanas em Vilnius e Kiev e, mais recentemente, na Bulgária, em Varna, nas margens bonitas do Mar Negro. E hoje, para alegria e lágrimas de muitos(as), viveremos no Luxemburgo, mais um momento histórico. Na vitória 300 da nossa Selecção e com o golo 100 de Cristiano Ronaldo.

3. Uma advertência agora. Vou escrever acerca de Bernardo Silva. Não acerca do extraordinário jogador que é. Não acerca do sentimento benfiquista que inequivocamente assume. Não acerca do jovem empenhado e dedicado que sei bem que é. Mas vou falar a respeito do castigo que lhe foi imposto, aplicado, pela Federação Inglesa de Futebol. Cumprimentado efusivamente o Dr. Fernando Gomes e o Dr. Tiago Craveiro por terem testemunhado a seu favor num processo que me perurba e aflige como cidadão de uma Europa e de um Mundo claramente em transformação. Escrevo em inglês o que sinto. E, depois, assumo em português, em total respeito a este jornal de liberdade, o que, na língua aberta e comum deste nosso tempo, entendi escrever.

4. A brief note do the English Football Associaton. I know they condemned Bernardo Silva. For not knowing the historical connotation of the charecter Conguitos. Belive me, they made me laugh. What I thought was one of the world's reference of liberty and freedom of speech is becoming an exemple of a sick democracy. If reciprocity was applied, Portugal should demand from every englishman who misbehaves in our territory the same education course that Bernardo will be forced do attend. He is, as I personally can testify, a true gentleman! May you please no ban a joke! Do not kill the right do play! We just need to look at your Parliament to understand you are losing your sense of humor. Unfortunately, also contaminating other European countries. A big hug Bernardo! Hope you have a good game today in Luxembourg. And I will never be afraid to defende you! Fearless!

5. (...)

6. A reconciliação com a história tem gestos singulares. A Universidade de Munster (Alemanha) restituiu à Grécia a emblemática taça cerâmica de vinho oferecida ao primeiro vencedor da Maratona nos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna (1896). A taça caíra nas mãos de um Nazi. Agora a taça regressou a Atenas. O mundo deve registar estes gestos. E o desporto não os deve ignorar. Deve associar-se a eles. Já que a história dos Jogos Olímpicos é, também, a história do nosso Mundo. Da Antiguidade à era Moderna! E os de Tóquio arrancaram a 24 de Julho de 2020!

7. (..)"

Fernando Seara, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário