segunda-feira, 8 de março de 2021

TRÉS, AS CONTAS QUE O BENFICA FEZ



 Bis de Seferovic e estreia de Lucas Veríssimo a marcar valem regresso aos triunfos fora de portas.

O Benfica venceu, esta segunda-feira, o Belenenses SAD por 3-0 e regressou aos triunfos fora de casa dois meses e meio depois. Seferovic com um bis e Lucas Veríssimo fizeram os golos dos encarnados.
Depois de duas vitórias consecutivas frente ao Rio Ave (Liga) e Estoril (Taça de Portugal), os encarnados procuravam fazer o que ainda não tinham conseguido em 2021: Um triunfo fora de casa. De um lado tinham um adversário que é muito sólido a jogar em casa e que já não perdia no eu reduto desde o início de janeiro para o campeonato (derrotada frente ao Paços de Ferreira).
Os azuis, na 12.ª posição, enfrentavam o 4.º classificado Benfica que há cinco jogos que não sabia o que era vencer fora de portas. Para a partida no Jamor Jorge Jesus fez muita alterações, com destaque para o regresso de Helton Leite à baliza, com Diogo Gonçalves no onze e com Waldschmid a voltar à titularidade.
Para contrariar o previsível maior caudal ofensivo da equipa encarnada, Petit tentou contrariar o adversário com uma defesa a cinco.
Primeira parte dividida
No primeiro tempo o Benfica sentiu francas dificuldades frente a um B.SAD que apareceu desinibido em campo e quando pôde a tentar explorar as transições. A não dar grandes veleidades aos encarnados, os azuis tentaram sempre que puderam aproximar-se da baliza de Helton Leite.
O primeiro remate enquadrado com a baliza e que causou algum frisson saiu do pé de Pizzi. Passe de Grimaldo a encontrar o jogador de 31 anos que finalizou para defesa de Kritsyuk. Respondeu no minuto a seguir Seferovic que não finalizou da melhor forma, num remate de cabeça, depois de um cruzamento na direita. Helton Leite foi colocado à prova ao minuto 32´, mas conseguiu deter a tentativa dos homens da casa com uma defesa fácil. No minuto a seguir foi Varela a fugir, a colocar para o remate de Ruben Lima que atirou por cima
Aos 36´, excelente ocasião para o Belenenses SAD. Varela ganhou a bola a Lucas Veríssimo e depois a rematou cheio de intenção para a defesa de Helton Leite. Na recarga, Miguel Cardoso atirou por cima.
Insistia a equipa de Petit, que voltou a criar frisson ao minuto 41. Novamente os azuis pelas alas a explorar os cruzamentos para a área, mas desta feita com Cebolinha, numa ação defensiva, a tirar o pão da boca a Miguel Cardoso.
Segunda parte com o apagão do Belenenses SAD e com o Benfica 'rei e senhor'
Depois de uma primeira parte dividida, não se previam tantas facilidades para o conjunto encarnado no segundo tempo. O Belenenses SAD baixou intensidade, deixou-se enredar na teia encarnada, que resolver a contenda rapidamente na etapa complementar.
O golo chegou logo à passagem do minuto 55´. Seferovic apareceu a encostar para o fundo da baliza, depois de um cruzamento de Grimaldo. Era o melhor que podia ter acontecido à equipa de Jorge Jesus que voltou a fazer o gosto ao pé, três minutos volvidos. Passe de Diogo Gonçalves a desmarcar o suíço que com toda a calma do mundo bisou na partida, numa finalização cheia de classe à ponta de lança.
O rolo compressor encarnada havia despertado no início do segundo tempo e poderia ter feito mais estragos ao minuto 61´. Rafa abriu o livro com uma grande jogada, mas acabou por não conseguir bater o guardião do B. SAD.
Com os azuis impotentes para travar o ímpeto encarnado, o Benfica marcou mais um golo. Estreia de Lucas Veríssimo a marcar que encostou de peito para o fundo da baliza depois de um cruzamento de Grimaldo após um canto.
Com o Benfica muito intenso, e com as substituições a sucederem-se em ambos os lados, Seferovic quase chegou ao hat-trick. Chiquinho deixou no dianteiro que num remate rasteiro quase fez mais um golo.
Nos minutos finais, os donos da casa ainda foram à procura de reduzir, com Helton Leite ainda a negar os intentos com uma defesa a remate de Cassierra.
Os encarnados chegam à terceira vitória consecutiva e colocam pressão sobre o SC Braga que amanhã mede forças com o V. Guimarães.

Sem comentários:

Publicar um comentário