sábado, 31 de março de 2018

SÓ O NOSSO JOGO NOS DEVE PREOCUPAR


"Rivalidade é salutar e sadia, uma graça ou picardia são até fundamentais para dar sal e pimenta, mas esta indigência é de mais

Nem em Semana Santa se conseguiu algum tempero no léxico utilizado pelos dirigentes do futebol nacional.
Confesso que as expressões utilizadas, o modo, o estilo e o conteúdo são bem mais tristes e lesivas do nosso futebol, que perder por 3-0 num jogo treino contra um bom adversário. A Argentina levou seis de uma Espanha desfalcada e irá à Rússia com uma intocável vontade de vencer.
A rivalidade é salutar e sadia, uma graça ou picardia até são fundamentais para dar o sal e pimenta sempre necessários, mas esta indigência é demais, ignora-se o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, ou o Presidente da República e os seus avisos, porque, no fundo, só se fala para os presidentes das suas claques.
Este fim de semana volta a Liga e a luta pelos pontos. O Benfica tem um adversário que foi muitas vezes de má memória, mesmo que nos lembre o jogo do último título, no ano transacto. Os 5-0 deram-nos o 36, uma vitória amanhã mostra-nos o caminho do 37.
Temos que estar focados na luz e no nosso jogo, só isso nos deve preocupar. Belém e Braga são contas de outros rosários. Sábado de aleluia, tem que ser isso mesmo, sábado de fé na ressureição da esperança, rumo ao penta. Desejamos um estádio cheio, ambiente que ajude a equipa, num jogo onde ganhar é decisivo. Mais de 60 mil é uma resposta à Benfica.
Os órgãos de comunicação social dão como possível a recuperação de Rúben Dias, e isso será uma óptima notícia. Vão ser precisos todos os melhores para vencer o Vitória de Guimarães, saído de umas eleições disputadas e sempre com a pressão de vencer.
Procurar o que queremos do jogo, e não ficar à espera que o jogo nos dê o que queremos, é a atitude à Benfica para evitar desaires.
Rui Vitória conhece como ninguém o que irá encontrar do outro lado. Neste Benfica só há margem para vencer.
Nota de merecido destaque na última semana desportiva para a prestação de João Sousa no Masters 1000 de Miami. De regresso aos bons resultados e excelentes exibições que fazem prognosticar uma segunda metade de temporada com uma ascensão no ranking ATP.
Uma Boa Páscoa para todos os leitores de A Bola."

Sílvio Cervan, in A Bola

1 comentário:

  1. Nem mais.... Que continue o circo com palhaços pobres e palhaços ricos as trafulhices dos azuis e verdes vão ter consequências

    ResponderEliminar