sexta-feira, 27 de maio de 2016

É A META DE EDERSON


Ederson integra a comitiva brasileira para a Copa América e mostra-se feliz pela evolução demonstrada.

Ederson não ‘tremeu’ ao ser chamado para a baliza do Benfica após a lesão de Júlio César e, em entrevista à imprensa brasileira, admite almejar alcançar os feitos do colega.
“Antes, conhecia o Júlio César só como profissional. Hoje conheço mais como pessoa, é excecional. A lesão foi um momento difícil para ele mas, mesmo assim, deu-me muita confiança. É um cara com o qual aprendo muito no dia-a-dia. Espero construir uma história como a dele”, apontou.
O guarda-redes, que integra a comitiva brasileira para a Copa América, revelou, ainda, ter tentado aprender a marca livres com um dos melhores… mas com pouca sorte.
“Não quero continuar a marcar livres, foi apenas uma opção do treinador, que insistiu. Acabei por treinar alguns mas não fui feliz. Mas estou feliz por Ceni fazer parte da comitiva. Espero aprender muitas coisas e escutar histórias dele”, adiantou.
Já quanto ao trabalho que tem vindo a desenvolver com o treinador de guarda-redes Taffarel, Ederson aponta diferenças quanto àquilo que fez em Portugal.
“Está a ser muito bom trabalhar com ele. É um pouco diferente do que eu vinha realizando no Benfica. Lá é mais técnico, trabalhamos muito um contra um, jogo com os pés. Aqui, é mais carregado, de força, pegada. É bom porque sai da zona de conforto”, concluiu.

Sem comentários:

Publicar um comentário