sexta-feira, 20 de setembro de 2019

"ACREDITO MUITO NESTES JOGADORES"

                                           
FUTEBOL
Treinador do Benfica projetou a deslocação ao reduto do Moreirense na 6.ª jornada da Liga NOS, numa conferência de Imprensa (ainda) muito dominada por questões relativas ao recente jogo na Liga dos Campeões.
Bruno Lage, treinador do Benfica, lançou em conferência de Imprensa no Seixal o jogo da 6.ª jornada da Liga NOS, marcado para as 20h30 de sábado no terreno do Moreirense.
Porém, o espaço de antevisão do duelo com os minhotos teve muitas perguntas ainda sobre a partida de estreia das águias na Liga dos Campeões 2019/20, naquela que é a 10.ª presença do Benfica na fase de grupos da prova mais importante de clubes na Europa. Bruno Lage desenvolveu os temas e foi ao pormenor nas afirmações, leituras e explicações.
No regresso do Benfica ao Campeonato, que Moreirense conta encontrar neste jogo no Minho?
O Moreirense é uma equipa muito competitiva e organizada. Temos um jogo muito difícil por ser fora de portas e num campo mais pequeno do que é habitual, diante de uma equipa que tem tido um registo muito interessante em casa, com vitórias, golos marcados e zero sofridos. Adivinha-se um jogo muito competitivo perante um Moreirense que joga habitualmente em 4x3x3, com jogadores muito interessantes. Como sempre, temos de estar ao nosso melhor nível para voltarmos a fazer uma boa exibição e ganharmos os três pontos, que é o grande objetivo.
Voltando a olhar para o recente jogo do Benfica contra o Leipzig na Liga dos Campeões. Há quem fale de gestão da sua parte naquela partida. Que explicação pode dar a quem levanta esta questão?
Eu julgo que expliquei muito bem após o jogo, mas vou voltar a fazê-lo. Não houve gestão. O que eu faço é, em função da nossa forma de jogar e do momento de cada jogador, colocar os melhores em campo para cada jogo. Quando passamos a jogar de três em três dias, tenho de decidir em cada momento. Há duas ou três situações que já expliquei, mas vou recuperar. André Almeida: esteve muito tempo sem competir. Sem pré-época, o tempo de recuperação dele é muito superior. Com o Gil Vicente ainda pensámos em substituí-lo, mas, da forma como estava o jogo e a equipa a não controlar tão bem com bola, entendemos tirar Raul [de Tomas]. Como o André não estava a 100 por cento no jogo seguinte, entendemos pôr o Tomás [Tavares], e não é o plano A ou B. É a nossa avaliação e são as nossas opções: olhar para cada momento e decidir. Hoje, se calhar as pessoas já entendem por que razão o Raul saiu e o Seferovic continuou em campo no jogo com o Gil. Desse lado é muito fácil pensar as coisas a três, quatro, cinco jogos, mas aqui temos de fazer jogo a jogo. Não podíamos facilitar na partida com o Gil Vicente. Vejam o que aconteceu por essa Europa fora e mesmo aqui em Portugal [depois dos jogos das seleções].
...
Depois, há uma interpretação errada do que é a minha intenção de olhar para a Liga dos Campeões como uma oportunidade de realizar uma campanha tremenda, fazendo justiça ao passado e ao nome do Benfica. Essa é a nossa ambição e mentalidade. É para isso que trabalhamos diariamente. Temos de perceber o momento atual do Clube e o seu projeto. As pessoas podem interrogar: então jogamos com Tomás quando a opção principal é o André? Eu não sei qual é a opção principal... Por isso é que desde o primeiro dia disse que tínhamos de organizar um plantel equilibrado e competitivo. Faço algumas questões: onde é que arranjo um jogador como o Tomás com 18/19 anos? Qual é o preço dele? Como é que vou ao mercador contratar um jogador desta qualidade? Ou um David Tavares... Quanto é que isso me custa? Estamos a falar de um jogador de tremenda qualidade. Qual foi a diferença entre o André e o Tomás? Eu não a senti. Temos este projeto, um caminho para percorrer, mas não tirem ao treinador a exigência que eu quero lá dentro, isto é, fazer uma campanha à dimensão do Benfica. Hoje, falamos do Florentino como uma ausência na equipa... Qual foi o primeiro jogo dele [a titular]? Notou-se a diferença [no Galatasaray-Benfica da época passada]? Não se notou. Este tem de ser o nosso caminho. Se quisermos contratar jogadores do valor destes que temos aqui, eles custam 60 milhões. Temo-los em casa. Este é o nosso projeto, o nosso caminho, e é muito importante que as pessoas percebam isso. Mas isto não nos tira a vontade de querer fazer muito! E nós, desculpem-me, é a minha opinião, não fizemos uma exibição que envergonhasse os Benfiquistas no jogo com o Leipzig, antes pelo contrário. Faz-se uma avaliação apenas em função do resultado e não das oportunidades criadas, porque as criámos, tivemos duas, três bolas na cara do guarda-redes... Concretizando-as, a opinião e a conversa teria sido outra.
Com o plantel que tem à disposição, o que é que o Benfica pode ambicionar na Europa?
O Clube tem um caminho e um projeto, e eu acredito muito nisso! Vejam o passado recente... Com grande parte destes jovens fomos a duas finais da Youth League. Aonde é que estes indicadores nos levam? Vamos a uma situação de há 15 anos... Eu estava cá, construiu-se o Benfica Futebol Campus e o que se dizia na altura era "para quê?"... "Uma equipa campeã com base em miúdos? Difícil..." Conseguimos! Há alguns anos que se fala na oportunidade de o Benfica voltar a ser grande na Europa, em particular na Liga dos Campeões... Estamos a dar os primeiros passos e queremos conseguir. Os que hoje dizem que não é possível são os mesmos que há 10 anos diziam que não era possível ser campeão tendo jovens na equipa... E o Benfica em seis anos ganhou cinco Campeonatos, além de ter ido a duas finais da Youth League. Acredito muito nisto! Quero dizer aos Sócios e adeptos do Benfica que, com o Leipzig, meti aquela que na minha opinião era a melhor equipa para vencer. Para cada cenário, uma estratégia e os jogadores. Por que jogou Cervi? Dos três para aquela posição, é o melhor a pressionar. E tínhamos de pressionar muito. Jogou e, também segundo a Crítica, jogou bem, fez o que lhe pedi. Apareceu na cara do golo e, se tem convertido, era o herói da partida. São as nossas opções. Há o projeto do Clube, há o caminho e há o acreditar muito nestes jovens jogadores, onde incluo também o Chiquinho e o Gabriel. Acredito muito (porque acreditei na época passada que iríamos ser campeões e fomos) que vamos fazer uma competição à altura do Benfica, com estes jogadores e com esta mentalidade.
Seferovic exteriorizou sentimentos após o golo marcado ao Leipzig na terça-feira. Que leitura faz?
Sinto que, quando se olha para o Seferovic, transparece para o público a imagem ou a ideia de uma pessoa fechada, mas não... Ele é um jogador muito tranquilo, que está a viver o melhor momento da sua vida, foi pai recentemente. Sinto que o Sefe gosta muito de estar no Benfica e gosta dos adeptos, e sinto também que os adeptos têm um carinho enorme por aquele que foi o melhor marcador na época passada, pelo homem da frente que mais trabalha para a equipa. Estive ao lado dele na conferência de antevisão do jogo com o Leipzig... Quando alguém se senta aqui (estando a trabalhar para que as coisas aconteçam, vendo a equipa a marcar, a golear, a ganhar a Supertaça e com uma entrada tranquila no Campeonato...) e, em quatro de seis perguntas, só é questionado pelos golos... É quase como se estivéssemos a falar daquele que foi o empregado do mês e, no dia seguinte, queimou as batatas fritas e levou uma dura do chefe. É o equilíbrio das coisas...
Se olharmos para os grandes avançados europeus da Liga dos Campeões, todos correm acima dos 11 mil metros por jogo. Volto a repetir: isto não é atletismo. Mas se queremos jogar com um ou dois avançados e pretendemos que a equipa tenha comportamentos ofensivos e defensivos, eles têm de correr muito. Vejam o que correram os avançados do Atlético de Madrid, por exemplo... ou os avançados do nosso adversário. Há que olhar para aquilo que o Sefe dá à equipa, além dos golos. Estou muito satisfeito com o trabalho dele, e ele tem de entender que é preciso conviver com certas coisas. Mas também, as pessoas de fora e os nossos adeptos, têm de perceber que por vezes a pressão que recai sobre os ombros destes jovens é muito grande.
Lista de convocados
Guarda-redes: Odysseas e Ivan Zlobin;
Defesas: Jardel, Rúben, Ferro, Tomás Tavares, André Almeida e Grimaldo;
Médios: Taarabt, Caio, Fejsa, Rafa, Pizzi, Gedson Fernandes, David Tavares e Cervi;
Avançados: Jota, Raul de Tomas e Seferovic.
BOLETIM CLÍNICO
Chiquinho: desinserção do tendão médio adutor, à esquerda;
Conti: lesão muscular na região anterior da coxa direita;
Gabriel: entorse do joelho direito, com lesão do ligamento lateral externo;
Vinícius: lesão muscular na região posterior da coxa esquerda;
Florentino: lesão no menisco interno do joelho direito.

Sem comentários:

Publicar um comentário