segunda-feira, 23 de setembro de 2019

DA GRATIDÃO


"Como benfiquista tenho de estar grato com Bruno Lage pela conquista, improvável, do último campeonato nacional

1. O Benfica venceu em Moreira de Cónegos. Foi uma vitória difícil num jogo bem complicado. O Moreirense controlou as principais peças do Benfica e os respectivos movimentos e a equipa de Bruno Lage, reajustada após o desaire da Liga dos Campeões, bem precisou de Rafa e de Seferovic. Mas sem esquecermos o centro milmétrico de Jota para o excelente golo do suíço e o centro de Rúben Dias que proporcionou, no momento exacto, aquele golpe de cabeça de Rafa. Foram oito minutos finais de total emoção. Foram oito minutos à Benfica. Vontade e fé. Coração e paixão. Seferovic aos noventa e um minutos marcou com excelência e comemorou com raiva. Sei bem que Seferovic é um profissional digno. Sente o Benfica e a sua família adora Lisboa. Merece a gratidão dos benfiquistas. Pelo que fez, não nos esqueçamos, na época passada. Mas, também, pela relevante vitória de ontem. Os três pontos fazem regressar o ânimo. Fazem acreditar na nossa Liga e na Liga dos Campeões. Este Benfica, depois da reacção de ontem, vai entrar num ciclo complexo. É o arranque da Taça da Liga que antecede dois jogos para a Liga NOS e para a Liga dos Campeões e em que importa repetir, com o colinho dos adeptos, a vontade e a fé que se sentiram nos derradeiros minutos em Moreira de Cónegos. Mas, sofrendo, foram três pontos. Três pontos e a nossa gratidão a Rafa e a Seferovic!

2. (...)

3. No Japão está a decorrer, desde a passada sexta-feira, a nona edição do Campeonato do Mundo de râguebi. A Nova Zelândia procura o tri após a conquista dos Mundiais de 2011 e de 2015. Vinte selecções disputam esta prova que é, após os Jogos Olímpicos de Verão e de um Mundial de futebol, o terceiro evento desportivo mais visto nesta aldeia global. O que sabemos é que só termina a 2 de Novembro e até lá o Haka, esse hino marcante e arrepiante aos All Blacks, percorrerá o início de cada partida da Nova Zelândia. E lá se canta, a determinado momento, que «a nossa supremacia irá triunfar»! O que sabemos é que nas nova edições, oito foram conquistadas por selecções do hemisfério sul e só a Inglaterra, em 2003, num Mundial disputado na Austrália, levou para o Norte um troféu centenário - desenhado em 1906! - que é banhado a ouro! Os milhões de amantes desta modalidade vibrarão com Gales e a África do Sul, com a Irlanda e a França, a Argentina e Tonga, a Namíbia e a Samoa, com o Japão e os EUA, a Austrália e a Escócia, entre outras selecções. Por mim não esqueço - e num tempo de nova e diferente crise racial! - o Mundial de 1995 realizado na África do Sul e conquistado, embalado por essa figura notável que foi Nelson Mandela, pela multirracial África do Sul! E, aqui, duas sugestões de leitura. O livro de John Carlin acerca desse Mundial conquistado: 'Invictus. O triunfo de Mandela'! E um outro, com um interessante prefácio de Barak Obama: 'Nelson Mandela. Arquivo Íntimo'! Pela minha parte fica a recordação, intensa, emotiva e intensa, da visita à minúscula cela onde Nelson Mandela esteve preso durante largos anos na ilha de Robben Island. Ali bem perto do Cabo da Boa Esperança. E essa visita e aquele Mundial de agregação conquistaram-me, em definitivo, para o râguebi! Com VAR há muito tempo...

4. (...)

5. Duas notas finais. No ranking da UEFA estamos cada vez mais perto da Rússia e do relevante sexto lugar que dá o acesso directo de duas equipas portuguesas na fase de grupos da Liga dos Campeões! E outra no play-off! A segunda para sublinhar o primeiro hat-trick de Bernardo Silva. Foi ontem na goleada do City e, naturalmente, pegou na bola do jogo, e sorrindo, levou-a para casa. Para mostrar, estou certo, à Senhora sua Avó!"

Fernando Seara, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário